AFLITOS

Diretor Adelson Wanderley chega aos Aflitos num momento de reestruturação, iniciado na gestão de André Campos, mantido até agora

Conhecedor do futebol, pois já passou por diversos cargos – foi preparador físico, supervisor e treinador – Adelson Wanderley chega ao Náutico num momento em que o clube dá prosseguimento ao processo de reestruturação iniciado na gestão do ex-presidente André Campos, e que teve continuidade com Sérgio Aquino – deixa o cargo no dia 19 – e vai ter seqüência com o futuro presidente, Eduardo Araújo. “Estou tomando conhecimento aos poucos da estrutura. Mas estou sentindo que há muita coisa bem feita. É evidente, que se for o caso, poderão ocorrer mudanças”, disse Adelson.

A primeira decisão do novo diretor foi evitar o ‘plantão’ de jogadores no clube para receber salários atrasados. “Os jogadores estão de férias. Não adianta virem sem ter certeza de que vão receber. Por isso, achei melhor que os atletas só venham, quando a situação estiver resolvida.”

O primeiro desafio é renovar os contratos de alguns jogadores, casos de Mabília, Kuki, Júnior Amorim, Érlon, Edu Silva e Rubens, além de ter que contratar dez atletas. “Eu gostaria de já ter uma base. Temos muitas pendências para resolver e o tempo é curto”, comentou, para lembrar que o técnico Givanildo Oliveira precisa do grupo definido até 2 de janeiro, na reapresentação. “Apesar do impasse entre o Nordestão e o Pernambucano (a Liga votou a favor da não realização paralela de ambos), as competições começam no dia 19. Portanto, precisamos correr atrás.”

REALIDADE FINANCEIRA – O clube não sairá da sua política de ‘pés no chão’. Ficou decidido, pelo menos para início de temporada, que a folha salarial será de R$ 230 mil. Ao mesmo tempo não foi definido um teto, mas Adelson admitiu que três atletas ganharão mais, caso do volante Sangaletti que está sendo contratado. “Não é fácil para um clube nordestino ficar sem arrecadar por três meses. O Náutico só vai gastar o que tiver condições, pois não podemos correr o risco de não cumprir os compromissos com atletas e funcionários”. Na negociação para a renovação dos contratos, terão de ser negociados os salários atrasados (outubro e novembro), dezembro e 13º.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


4 − = 2

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>