AFLITOS

O diretor de futebol do bicampeão pernambucano, Adelson Wanderley, tem às mãos uma lista de jogadores que precisam renovar contrato, além de outros que devem ser contratados, como o zagueiro Tinho, do Paysandu

O Náutico se esforça para renvar contratos e fazer novas aquisições para a temporada de 2003. O diretor de futebol, Adelson Wanderley, terá um prazo de 23 dias até a reapresentação dos jogadores – dia 2 de janeiro – para deixar pelo menos 90 por cento do grupo definido, pois a pré-temporada começará no dia seguinte.

No momento, só há 10 jogadores de contrato em vigência até 2003: Cláudio, Paulo André, Almir, Rodrigo Gama, Luciano e Rodolpho, saídos das equipes de base do próprio Náutico, e Gilberto, Sílvio, Fábio e Adílson, egressos de outros clubes. Para renovar contrato estão na lista seis atletas: Kuki, Mabília, Júnior Amorim, Érlon, Rubens e Edu Silva. Além disso, devem ser contratados inicialmente mais sete jogadores.

Ontem à tarde, Adelson Wanderley iniciou os entendimentos com o agente Adson Gomes para a renovação dos contratos do atacante Júnior Amorim e do zagueiro Érlon, jogadores que ele representa. O diretor alvirrubro adiantou que foi feita uma proposta para pagar os salários de outubro e parcelar o restante no novo contrato. A definição do assunto deve sair até sexta-feira.

“Vou tentar resolver a questão sem a necessidade de uma contraproposta, pois sou muito claro e objetivo nas minhas decisões”, disse Adelson Wanderley.

Ao mesmo tempo, o diretor de futebol teve um encontro com o também agente Nivaldo Silva, ex-jogador do Sport. O assunto foi em relação à possibilidade de um entendimento com o Atlético Paranaense sobre alguns jogadores. “Como Nivaldo tem um bom relacionamento com o Atlético poderemos ter alguns atletas em condições de vir para o Náutico”, explicou Adelson.

Sobre os nomes que estão sendo especulados, o dirigente confirmou apenas um contato com o zagueiro Tinho, ex-Sport e Santa Cruz. “Tive uma conversa com ele, mas nada ficou definido, pois ele pode renovar com o Paysandu.”

A respeito do preparador físico Wellington Vero, Adelson disse que ele ganha muito no Paysandu, embora tenha demonstrado interesse em voltar para o Recife, sua cidade natal. O fato de ele desejar ficar perto da família pode facilitar a negociação, acredita Adelson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


− 1 = 7

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>