CLÁSSICO

O treinador alvirrubro não vê clássico como uma ‘partida de vida ou morte’. Ele lembra que as duas equipes ainda terão oito jogos pela frente e por isso não quer seu time partindo desesperado em busca da vitória

No Campeonato Pernambucano foram quatro jogos, duas vitórias para o Náutico, ambas por 1×0, duas para o Santa Cruz por 3×0 e 2×1. Hoje, no Arruda, diante dos tricolores, a obrigação de vencer é maior para o time alvirrubro. Afinal, a luta é para ficar entre os oito classificados do Campeonato Brasileiro da Série B. Com 19 pontos ganhos, a equipe do técnico Heriberto da Cunha vem de dois resultados negativos (1×0 diante do Sport e 2×1 contra a Portuguesa) e precisa da reabilitação.

O treinador alvirrubro, nas entrevistas, discordou de que o clássico desta tarde é uma ‘partida de vida ou morte’ para as duas equipes. “Não concordo com isso. Além desse jogo teremos mais oito pela frente. Sabemos que a vitória é importante. Mas não podemos entrar em desespero”, afirmou.

Heriberto da Cunha ainda acrescentou: “O time precisa jogar com tranqüilidade, sem ansiedade e com inteligência. O Santa Cruz possui um time jovem, que marca bem e usa eficientemente o contra-ataque. Por isso, é preciso marcar com atenção.”

Para enfrentar os tricolores, Heriberto da Cunha foi obrigado mais uma vez a mudar o time. Os dois laterais titulares Marco Aurélio e Marcos Lucas cumprem suspensão devido ao terceiro cartão amarelo. Na vaga do primeiro entra Emerson Cafu. Já para o lugar do segundo, o técnico ainda não definiu se escala o garoto Jean, 18 anos, da divisão de base, ou improvisa o zagueiro Érlon, colocando Henrique ao lado de Bruno. Já o volante Wílson Surubim continua fora da equipe, pois ainda não se recuperou de uma contusão no joelho direito. Assim, Sérgio Soares, que volta ao time, faz a dupla de volantes com Pires, enquanto o meia Adriano fica no banco de reservas.

No meio-de-campo a novidade do time é a estréia do meia Hernani, que estava no Goiás, e teve uma boa passagem pelo Atlético/MG. Animado, ele considera um clássico como um jogo especial.

“É bom estrear num jogo assim. Clássico é sempre uma partida diferenciada. Estou pronto e muito otimista em fazer uma boa apresentação.”

Outro jogador bastante motivado é o meia Juliano. Ele defendeu o Santa Cruz e conhece bem a força do adversário. Além disso, espera um Santa tentando a reabilitação na Série B depois da perda do título pernambucano para o Sport na última quarta-feira. “É um jogo que define a posição na tabela. Ninguém pode perder. Vamos ter um confronto difícil, mas o Náutico está ciente de sua condição e da sua força”, comentou.

Juliano, porém, não considera uma vantagem o Náutico ter passado uma semana se preparando. “O Santa Cruz teve uma decisão com o Sport. Jogou bem e como o time é jovem não vai sentir fisicamente. Por isso, será preciso muita aplicação da nossa parte.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


6 + 8 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>