DESABAFO

Para o treinador, a falta de qualidade deve-se às más contratações. Ele disse que pediu jogadores como Carlos Miguel e Macedo, há mais de um mês, mas não foi atendido. Quer ainda mais quatro reforços

A derrota para o Atlético Mineiro, anteontem nos Aflitos, pela Copa do Brasil, fez três vítimas no Náutico. Foram demitidos o zagueiro Humberto, o lateral-esquerdo Joãozinho e o atacante André Jacaré.

Segundo o técnico Heriberto da Cunha, que não poupou críticas à direção do clube, ele havia dito ao grupo que isso poderia acontecer. O treinador queixa-se da falta de opções de qualidade. Esta, a seu ver foi a principal causa do resultado negativo.

Quando questionado se a contratação dos três jogadores dispensados havia sido equivocada, disparou: “Vai ver que eles não eram a primeira opção de Givanildo (Oliveira, demitido há pouco mais de um mês). Não aparece nenhum dirigente para dizer isso e o técnico leva a culpa”, afirmou. “Tem que haver bastante transparência. Pedi a contratação de Carlos Miguel há um mês. Ele foi para o Grêmio. Pedi Macedo, acertou com o Fortaleza. Pedi Fábio Gomes, Bill…”

Para ele, os ordenados desses atletas estariam na faixa salarial do Náutico. O diretor Maurício Cardoso negou. “Só o salário de Carlos Miguel é R$ 50 mil. Não estavam no patamar”, reagiu.

Sem contar com os reforços de sua preferência, Heriberto terá que se contentar com o lateral-esquerdo Marcos Lucas, com o zagueiro Bruno e com os meio-campistas Sérgio Gomes e Perdigão, que estão regularizados e aptos para jogar. O treinador deve promover a estréia de pelo menos três, domingo, contra o Intercontinental, nos Aflitos, pelo Campeonato Pernambucano. Ele quer ainda mais um zagueiro, dois meias e um atacante.

Em compensação, não poderá contar com Mabília, que cumpre suspensão, e com Jorge Henrique, machucado. Kuki é uma incógnita. Depois do acidente automobilístico, o jogador não apareceu no clube. Segundo o diretor de futebol, Maurício Cardoso, o atacante deve se apresentar esta tarde.

ELOGIOS – Além das críticas à direção, Heriberto da Cunha fez elogios aos jogadores alvirrubros. Para ele, o Náutico está com um time reformulado, mas soube encarar uma equipe de qualidade. “Tenho que dar parabéns a este grupo”, disse. “Talvez, se Jorge Henrique tivesse continuando até o fim, o resultado pudesse ser outro”, acrescentou.

Segundo o técnico, o Náutico tem condições de inverter a vantagem atleticana, no jogo marcado para o dia 1º de maio, no Mineirão. Para passar às quartas-de-final da Copa do Brasil, o Timbu precisa vencer por dois gols de diferença, ou vitória por um gol, desde que seja por 3×2, 4×3… Vitória por 2×1 leva a decisão por pênaltis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


9 − 4 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>