FUTSAL

Clássico entre a Universo e o Náutico é sinônimo de quadra cheia, rivalidade, gols, quebra de tabu e confusão. Esse foi o tempero que deu um gostinho especial ao jogo do sábado à noite pela Copa Pernambuco de futsal da categoria adulta masculina. Mas quem acabou levando a melhor foi a equipe alvirrubra, que além de ter vencido por 3×1, quebrou a invencibilidade de um ano da Universo em jogos oficiais e ainda garantiu a classificação para a próxima fase da competição.

O jogo começou com as duas equipes apenas se conhecendo e reconhecendo a apertadinha quadra do Náutico. A primeira oportunidade de gol foi dos alvirrubros. Edir, por duas vezes, ameaçou balançar a rede da Universo, chutando duas vezes em cima do goleiro Jean. Mas não demorou para essas tentativas realmente se concretizarem. Numa jogada ensaiada, o escanteio foi cobrado pelo Náutico, a bola parou nos pés de Renan, que apenas completou, marcando o primeiro gol alvirrubro aos sete minutos.

Em seguida, Bicudo entra para ajudar o time da Universo, mas não adiantou muito. A equipe universitária depois que levou o gol, parecia ansiosa na busca pelo marcador. Assim, cometeu a quinta falta dando a oportunidade aos alvirrubros cobrarem uma falta aberta. O responsável foi Cleóbio, aos 11 minutos, que chutou forte sem dar chances ao goleiro. A Universo ensaiou algumas tentativas de gol no primeiro tempo, mas o placar terminou em 2×0 para o Náutico.

Começa o segundo tempo e a Universo mais do que nunca precisa marcar para ganhar a invencibilidade de um ano. Mas o nervosismo, a essa altura, já dominava a equipe universitária. Assim, Chita entrou duro em Edu na linha da área universitária. Falta marcada. Dionízio foi para a cobrança e seu chute passou direto pela barreira. Resultado: 3×0 para o Náutico, aos dois minutos, que a partir daí resolveu se retrancar. A Universo teve dificuldades em chegar na frente mas ainda conseguiu diminuir o placar com Assis, aos três minutos.

Os demais resultados da rodada foram: Santa Cruz 6×2 Vicência; Sport 20×3 TCB; Sesc Santo Amaro 0×1 Boa Viagem; e ABF 4×3 Atlético/Versa Seguros. O jogo entre AABB e São Paulo será realizado na quarta-feira.

Corre-corre de um lado, corre-corre de outro. Coincidência ou não, as duas equipes que disputaram o clássico de sábado à noite estão tendo que se desdobrar para manter o ritmo nas competições. Isso porque a Universo divide seu tempo e seus treinos entre a Copa Pernambuco e os Jogos Universitários (Jups). Já o Náutico multiplica-se em três para dar conta da Copa Pernambuco juvenil e adulta de futsal, além do futebol de campo.

No Náutico não é muito diferente. Quatro jogadores disputam a Copa Pernambuco de futsal pelo juvenil e pelo adulto, além de estarem treinando futebol de campo. André Lafayette, Dionízio, Joça, treinam no juniores de campo e Renan no profissional. “Nós estamos dando uma contrabalanceada. Se o jogo é fácil, eles não entram. Mas os treinos acontecem em dois expedientes por dia. Como trabalho nos dois departamentos (futsal e campo) do Náutico, faço um monitoramento dos atletas”, ressaltou o técnico Marcelo Ribeiro.

Das quadras ao gramado

Das quadras para o campo. Do campo para as quadras. E assim Renan vai levando a vida. Ainda indeciso de qual carreira quer seguir, o jogador alvirrubro de 18 anos, vai se dividindo entre o futsal e o futebol. Renan já é experiente no piso de taco. Neste ano, o jogador, junto com André Lafayette, Joca e Dionízio, resolveu se aventurar no campo. Começou a treinar nos juniores do Náutico e logo depois foi convidado pelo treinador Heriberto da Cunha para compor o grupo profissional. Foi tudo muito rápido.

“Entrei no juniores no final de janeiro deste ano na lateral esquerda. Mas como havia deficiência no ataque, fiquei mais na frente. Um dia, em um treino, o time de juniores enfrentou os profissionais e nós vencemos. O gol não foi nem meu, foi de Joca, mas Heriberto mandou me chamar para o profissional. Fiquei surpreso porque, nesta época, eu só tinha dois meses de clube”, revelou Renan. A partir daí, o jogador vem treinando apenas o futebol de campo e já entrou no gramado contra o Atlético Mineiro.

“Heriberto ficava olhando para o banco como se não soubesse quem colocar e eu fiquei encarando ele. Eu não esperava, mas ele me chamou e assinei a súmula tremendo. O Independência (estádio) estava lotado e a responsabilidade era grande, já que entrei no lugar de Mabília”, ressaltou Renan. Agora Renan está se dedicando mais ao campo porque quem treina no profissional não pode treinar em outro lugar. E para entrar em quadra, só com a autorização de Heriberto da Cunha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


7 + 9 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>