PERNAMBUCANO

O time alvirrubro passou a somar cinco pontos. Para conquistar o terceiro turno, terá que vencer os clássicos contra Santa Cruz e Sport e ainda esperar um tropeço do próprio Sport diante da AGA

Bicampeão estadual, o Náutico praticamente deu adeus ao sonho do tri este ano ao empatar por 2×2 com a AGA, ontem à noite, no Arruda (a partida não foi realizada nos Aflitos porque o clube perdeu o mando de campo). O time alvirrubro passou a somar cinco pontos. Para conquistar o terceiro turno, terá que vencer os dois clássicos contra Santa Cruz (quatro pontos) e Sport (10 pontos) e ainda esperar um tropeço do próprio Sport diante da AGA.

Com o time ‘costurado’ mais uma vez, sem alguns titulares, o Náutico mostrou pouca inspiração, principalmente no primeiro tempo. Com um meio-de-campo novo, contando com o garoto Diogo, de apenas 16 anos, os alvirrubros não conseguiam criar muitas jogadas ofensivas. A AGA, por sua vez, tentava o contra-ataque.

A primeira boa jogada do Náutico ocorreu aos 11 minutos. Marco Aurélio cobrou escanteio e o goleiro Genílson errou na saída. Na sobra, Adílson bateu para fora. Um minuto depois, o atacante Jorge Henrique desperdiçou uma boa chance de abrir o placar.

A AGA, porém, não errou aos 21 minutos. Nando cobrou escanteio e o atacante Sandro desviou de cabeça para a entrada de Nenem, que só tocou para fazer 1×0.

Na volta para o segundo tempo, zagueiro Henrique entrou na vaga de Bruno. Ainda no primeiro tempo, o zagueiro Érlon sofreu uma entorse no tornozelo esquerdo e deu lugar a Pedro Paulo.

O Náutico procurou reagir. Logo aos oito minutos, num belo contra-ataque, Kuki penetrou pela esquerda e cruzou. Jorge Henrique, em velocidade, escorou a bola e empatou o jogo: 1×1. Dois minutos depois, o zagueiro Mendes foi expulso ao entrar violentamente em Jorge Henrique.

Com um homem a mais, o Náutico tentava impor um ritmo mais veloz. Mesmo assim, sem muita objetividade. O jogo continuava tecnicamente fraco. Na base da vontade, os alvirrubros chegaram aos 2×1. O lateral Emerson Cafu escapou livre pela direita e cruzou na área. Jorge Henrique, de cabeça, colocou a bola no canto direito de Genílson.

Depois do gol, o Náutico errou ao permitir o avanço da AGA. Aos 48 minutos, Naldo cobrou escanteio e o meia Renatinho, de cabeça, fez 2×2, complicando os alvirrubros mais ainda no terceiro turno.

VIAGEM – O Náutico esquece por um momento o Pernambucano. A delegação viaja logo mais às 7h15 para Caxias do Sul, quando na sexta-feira vai enfrentar o Caxias pela Série B do Campeonato Brasileiro.

Ficha do Jogo

Campeoanto Pernambucano 2003

Náutico: Rodolpho, Emerson Cafu, Bruno (Henrique), Érlon (Pedro Paulo) e Marcos Lucas, Adílson, Luciano, Marco Aurélio (Cláudio) e Diogo, Jorge Henrique e Kuki. Técnico: Heriberto da Cunha.

AGA: Genílson, Ìndio, Nenem, Mendes e Xavier, Zezinho, Naldo, Renatinho e Nando (Serginho), Sandro e Quincas (Ronaldo). Técnico: Djalma Linhares.

Local: Arruda.
Horário: 20h30.
Árbitro: Patrício Souza.
Assistentes: Erich Bandeira e Luciano Cruz.
Gols: Nenem, aos 21 do 1º tempo, Jorge Henrique, aos 8 e 23, Renatinho, aos 48 do 2º.
Cartões Amarelos: Érlon, Bruno, Luciano.
Cartões Vermelhos: Mendes.
Público e Renda: 187 pagantes (2.057 Futebol Solidário) e R$ 935,00.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


5 − = 1

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>