SÉRIE B

Timbu foi o único a vencer o Remo, no Mangueirão, na Segundona 2003. Confiantes, os alvirrubros querem– e precisam – repetir a dose para neutralizar a derrota em casa, diante do Botafogo, sábado

O Náutico espera – e precisa – repetir, hoje às 20h30, o feito da primeira fase, quando derrubou o Remo (3×1), em pleno Mangueirão, em Belém. A partida é válida pela segunda rodada do grupo C do Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão e já é encarado como uma espécie de decisão para alvirrubros e remistas, que perderam na estréia na etapa semifinal para Botafogo e Marília, respectivamente. Naquela oportunidade (dia 13 de setembro), assim como hoje, os timbus necessitavam vencer os paraenses para seguir com chances na Segundona.

A boa notícia é que todos os titulares estarão à disposição do treinador Leivinha, que manterá o time que atuou contra o Botafogo duas vezes.

“É importante porque os jogadores estão pegando o entrosamento e assimilando mais a nossa forma de jogar. Mas, só isso não é o suficiente. Precisamos ser aplicados e ter muito equilíbrio emocional”, explica Leivinha, no comando técnico do Alvirrubro há cinco jogos.

O fato de ter sido o único time a vencer o Remo, em casa, não ilude o técnico. “Era um outro jogo, numa outra situação. Agora estamos numa reta final, o estádio estará cheio e o adversário sabe que uma derrota o complicará muito para o decorrer do campeonato”, afirma o cauteloso Leivinha, que realizou um treinamento, ontem à tarde, no campo da Assembléia Legislativa do Pará.

Nada está perdido. Afinal, ainda estão em disputa 15 pontos e, destes, dez devem garantir a classificação ao quadrangular final.

“Temos cinco jogos pela frente e podemos perfeitamente repetir o que fizemos na fase passada e ganhar quatro jogos seguidos”, diz o zagueiro Bruno, já pensando na matemática. “Agora temos que torcer também para o Botafogo vencer os jogos que tem pela frente e fazermos a nossa parte, ‘correndo por fora’”, completa.

Mesmo em se tratando de uma decisão, há quem acredite que o duelo de hoje à noite será aberto.

“Ambos precisam arriscar a vitória. Acredito que temos grandes possibilidades,de vencer. Já conseguimos uma vez neste campeonato, estaremos jogando num campo grande e contra um adversário qualificado. Isso tudo vai fazer com que o Náutico cresça e lute pela vitória até o fim”, explica o volante Pires.

Outro que está confiante é o atacante Jorge Henrique, vice-artilheiro do Timbu na Série B, com oito gols. Ele vem formando uma eficiente dupla de ataque com Kuki, autor de 14 tentos – apenas um a menos que o remista Valdomiro (ex-Sport e Santa Cruz) artilheiro da competição.

“Vamos entrar para ganhar e revertermos a desvantagem que tivemos ao perder para o Botafogo, nos Aflitos. Temos que fazer o nosso dever de casa e buscar pontos fora do Recife”, ensina.

Remo/PA
Gilberto Mineiro; Valdemir, Augusto, Sérgio e André Silva; Márcio Belém, Marcelo Augusto, Jean e Rodrigo; Cristiano e Waldomiro. Técnico: Givanildo Oliveira.

Náutico
Edervan; Marco Aurélio, Bruno, Érlon e Vital; Pires, Wilson Surubim, Juliano e Adriano; Kuki e Jorge Henrique. Técnico: Leivinha.

Campeonato Brasileiro – Série B

Local: Estádio Mangueirão/PA. Horário: 20h30. Árbitro: Sálvio Spindola Fagundes Filho (SP); Assistentes: Márcio Luis Augusto (SP) e FlÁvio Lúcio Magalhães (SP).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


+ 6 = 12

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>