De volta ao futuro

Por: José Gomes Neto

Enfim, o Náutico encontrou a saída do labirinto quase sem fim da zona de rebaixamento do Brasileirão 2009. As 15 rodadas em que o Timbu mergulhou no limbo da competição pareciam não ter uma luz, mas um abismo sem retorno no fim do túnel. Porém, as dificuldades agora é que estão começando. Estas 15 últimas partidas prometem muitas, mas muita emoção mesmo torcedora (a), até o encerramento da Série A. Quem viver, e duvidar, verão.

Mesmo com a conquista da 16ª posição, e a ascensão técnica do Náutico, o técnico Geninho não terá facilidades para trilhar um caminho sereno na competição, agora, rumo à Sul-americana. Mais uma vez, e só para variar, a perda média de três atletas de um jogo para outro continua a ser o seu tormento para colocar o Náutico em campo. Isso desde que chegou ao clube.

Contusões, suspensões e até mesmo o caso específico do atacante Gilmar – que pode voltar a fazer parte dos planos do Náutico para esta temporada – atrapalham ao treinador alvirrubro. Diante destes desanimadores fatos, não adianta parar, chorar, contemplar. A sugestão é agir, de preferência com muita disposição e espírito de luta durante os 90 minutos que estarão em disputa neste domingo (13), contra o Grêmio, no Caldeirão Alvirrubro.

A esta altura, os obstáculos naturais já não veem mais sozinhos. Os adversários diretos, ou seja, os próprios clubes participantes, chegam ou são encarados Brasil afora com seus objetivos particulares ou comuns. Enquanto o time gaúcho tenta buscar uma vaga na parte de cima da tabela, o pernambucano espera ratificar a subida e, assim, galgar uma posição mais folgada na tabela, menos adrenalizada, desgastante.

No entanto, fica difícil não trazer à tona a adrenalina que envolve este confronto entre Náutico x Grêmio, no Eládio de Barros Carvalho. Para alguns “saudosistas”, a alusão ao fatídico jogo do quadrangular final da Série B de 2005, ainda é assunto de pauta presente. Como se o tempo tivesse parado. Mas a dinâmica do futebol é intensa e não há tempo a perder com glórias ou fracassos do passado.

Se olharmos para frente, ou melhor, para a contemporaneidade, o Náutico busca fazer sua melhor campanha desde que retornou à elite do futebol nacional. Em 2007 ficou na 15ª colocação e ano passado em 16º. Já o Grêmio tenta apagar a má impressão deixada com o vice-campeonato brasileiro na temporada anterior, quando deixou escapar o título para o São Paulo.

Num outro prisma não muito privilegiado, os outros dois times daquele quadrangular de 2005 procuram um lugar ao sol. Cada um à sua maneira. A Portuguesa de Desportos segue disputando a Série B, já esteve na Série C, e tenta voltar à Primeira Divisão nesta temporada, a duras penas. Enquanto isso, o Santa Cruz… Bom, deixa essa história pra lá, né!? Não dá nem para iniciar o argumento. Quem sabe no capítulo “surrealismo do futebol”…

Voltando a setembro de 2009, o torcedor alvirrubro está intimado a comparecer em maior número possível ao estádio para ajudar o Náutico a vencer mais um jogo importante do Brasileirão 2009. Esta será a grande meta nesta 24ª rodada da competição. Agora o Timbu não depende mais de ninguém, exceto do próprio futebol e competência para seguir ganhando e subindo na tabela. Avante, Náutico!

Saudações alvirrubras!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


8 + 6 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>