IMPECÁVEL

Por: Bosco Medeiros

Impecável! Esse foi o adjetivo mais humilde que eu encontrei para falar sobre a atuação do Náutico contra o Marília no jogo desse sábado próximo passado.

Confesso que fiquei receoso ao vê que Roberto Cavalo havia escalado Ademar na lateral esquerda do time, mas porque receoso? Ora, se o time tinha que ganhar, na minha cabeça, e acredito, de todos alvirrubros, o time deveria ir para frente, pressionar, atacar, sufocar, e para tal fim, nestes termos Aldivan é bem mais preparado que Ademar, não que Ademar seja um mal jogador, mas Aldivan apóia o ataque bem mais que ele.

O jogo começa como esperado, o Náutico sai com força total logo no começo para tentar o primeiro gol, movimentando bastante, com boas arrancadas de Cleisson e aproveitando também, a deficiência do Marília nas laterais do gramado. A partir daí eu esqueci que Aldivan era mais apoiador que Ademar e vi que a escalação foi correta. Danilo vindo sempre buscar jogo, enquanto Davi, muito marcado, se movimentava pelo campo sem conseguir espaço para receber a bola, mas como diz aquele velho ditado: “De todo mal se tira o lado bom”, foi exatamente o que aconteceu, o Marília preocupado em marcar o meio campo criativo do Náutico esqueceu de suas laterais, aí Ademar e Bruno Carvalho deitaram e rolaram com sua velocidade e habilidade respectivamente.

Não demora muito e numa jogada individual de Ademar que dribla o zagueiro e faz um cruzamento na área que mais parecia ter sido feito com as mãos encontra Romualdo livre que só tem o trabalho de pular e empurrar para o fundo das redes é o primeiro GOL da equipe alvirrubra, ele, Romualdo o “Rei das cabeçadas”.

A partir disso o Náutico inteligentemente viria a recuar um pouco, esperar o Marília sair para o jogo e continuar dando espaço para os laterais. O Marília então passa a tocar mais a bola, porém sem objetivo nenhum, e o que era até então à tarde dos laterais alvirrubros, passou a ser “a tarde de todo time”. O Náutico marcava rigorosamente bem, sempre cercando o meio campo do Marília sem deixar sequer uma brecha, então passou a acontecer, o que tínhamos visto no jogo passado contra o Caxias, não no sentido dos gols da defesa, mas sim um show de marcação, não passava nada por Batata e Marcelo Ramos, enquanto Cleisson e Tozo deixavam mais uma vez a torcida alvirrubra muito tranqüila, apoiavam e marcavam, sempre com muita seriedade. Os laterais do Marília eram marcados pelos atacantes alvirrubros, o meio de campo do Náutico fazia uma linha de três jogadores, com Davi, Danilo e Cleisson, com Tozo dando uma cobertura para a defesa, Batata e Marcelo Ramos fazendo o papel de “se passar é meu” nas costas dos laterais Bruno e Ademar, francamente, o Náutico estava excelentemente bem.

Só restava ao Marília os lances de bola parada, foi o que quase veio a acontecer, aos 28 minutos, falta na meia lua da grande área contra a equipe alvirrubra, cobrada para uma grande defesa de Pitol e no rebote, Fernando, contrariando todas as leis da física, chutou a bola no sol.

O primeiro tempo acabou com um brilhantismo especial para os defensores Batata e Marcelo Ramos, porém Davi ficou todo tempo apagado no jogo, será que aconteceu com ele o “efeito sansão”, cortaram o seu cabelo e o gigante perdeu as forças?

O segundo tempo começa mais acelerado e equilibrado, continuo dizendo, o Náutico deve acabar com essa história de cobrar escanteio curto, tem que mandar logo na área, o perigo é sempre maior.

Mudando um pouco a rotina de faltas e escanteios curtos, aos 03 minutos da etapa final, falta para o Náutico ao lado da área, Ademar um pouco atrás da cobrança pedia a bola, acredito eu que Danilo não percebeu isso e mandou na área, Marcelo Ramos ganha no alto do seu marcador e cabeceia no canto, sem chances para o pobre goleiro Guto que nada pode fazer além de vê a bola entrar no fundo das redes, é o segundo GOL do Náutico, canta torcida alvirrubra que vocês merecem.

Era tudo o que o time queria, um gol no começo do segundo tempo para poder jogar com mais calma e empolgar ainda mais a torcida, que ontem cantou, vibrou e “apitou” do principio ao fim do jogo, estava tudo lindo por demais, o time bem em campo e a torcida mais vibrante do Nordeste fazendo sua parte.

O Náutico passou a então cadenciar o jogo, tocar bem mais a bola, para fazer o tempo correr e deixar a equipe do Marília muito nervosa, que foi o que aconteceu com alguns jogadores que se queixaram do atraso dos gandulas ao entregar a bola, além disso, um jogador do Marília foi flagrado cuspindo, me parece, no preparador físico do Náutico, esperamos que as autoridades competentes do futebol punam tal jogador como ele merece.

O jogo foi ficando monótono, o Náutico “catimbava” enquanto o Marília passava a fazer faltas de uma maneira mais violenta, muitas vezes as faltas mereciam mais que amarelo.

O Náutico aí fez algumas modificações talvez já esperadas, Danilo que correu o primeiro tempo todo sem parar deu lugar a Miltinho e Paulo Matos a Betinho.

Betinho logo que entrou no campo, entrou já nos gritos de olé da torcida e do bom toque de bola no meio campo alvirrubro. O Marília passou a sufocar o Náutico, mas mesmo com esse sufoco todo, só exigiram de Pitol duas ou três defesas fáceis e nada mais, volto a falar, Batata e Marcelo Ramos estavam em tarde inspirada, ótimo entrosamento tanto nos contra-ataques do Marília quanto nas bolas paradas do mesmo, não perdiam uma de cabeça.

O terceiro gol era questão de tempo, enquanto o Marília atacava sem sucesso, Cleisson ia aos poucos tentando encaixas um contra-ataque objetivo, foi o que veio acontecer, num desses contra-ataques, aos 38 minutos do segundo tempo, Betinho tabelou com Romualdo e saiu livre para marcar o terceiro GOL do Náutico, Betinho, a jovem promessa alvirrubra de apenas 18 anos que já vai conquistando seu espaço na equipe e no coração da fanática torcida vermelha e branca. Depois disso, Romualdo, aplaudido, deu lugar a William e foi só esperar o árbitro finalizar o jogo e comemorar, fim de jogo, Náutico + Torcida 3×0 Marília.

Agora vamos enfrentar o Guarani no Brinco de Ouro, todos sabemos que não é um jogo fácil, mas se o Náutico não entrar com excesso de respeito e manter o ritmo desse jogo que fez contra o Marília, com certeza voltaremos de Campinas com mais 03 pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


1 + = 8

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>