Kuki

“A minha família é um grande estímulo para mim”

Por: Equipe NauticoNET – Foto: NauticoNET

A Equipe NauticoNET entrevistou nesta semana o atacante Kuki. Confira a entrevista abaixo:

NauticoNET: Quando você se machucou, o que passou pela sua cabeça ao deixar a equipe na reta final?

Kuki: A primeira coisa que veio na minha cabeça foi que o ano tinha terminado e que teria que fazer a cirurgia, mas tudo tem seu tempo pra acontecer e estou muito feliz com a campanha que o time está fazendo.

NauticoNET: Na sala de cirurgia, o que passou pela sua cabeça momentos antes de ser operado?

Kuki: Estava tranqüilo, pois sabia que estava entregue nas mãos de um ótimo profissional. Graças a Deus!

NauticoNET: Após o nascimento do pequeno Arthur (Filho de Kuki), o ânimo para o trabalho e a sede de gols aumentou?

Kuki: A minha família é um grande estímulo para mim. Estou muito feliz com o nascimento de Arthur, eles são muito importante para mim. Isso faz com que você trabalhe com alegria.

NauticoNET: O que passa pela sua cabeça quando você olha para o futuro e lembra que um dia irá ter que parar de jogar futebol?

Kuki: A hora de parar chega pra todo atleta. Tenho grandes amigos no futebol, acho que a maior tristeza fica pela rotina de trabalho. Não há nada que se compare com um dia de vestiário, histórias da bola e resenhas.

NauticoNET: Há alguma possibilidade em deixar o Náutico na temporada de 2006?

Kuki: Mesmo machucado, muitos dirigentes e empresários têm mantido contato comigo, perguntando como está minha situação.

NauticoNET: Você acha que já estará apto para jogar na primeira rodada do pernambucano?

Kuki: Começarei o trabalho de fisioterapia dia 11 de outubro. Não viajarei no fim do ano e vou fazer um trabalho junto aos preparadores físicos do Náutico, para que eu esteja apto à voltar aos gramados no inicio do ano.

NauticoNET: Mesmo após o fim de sua carreira, você pretende continuar residindo em Recife ou pretende voltar para Roca Sales?

Kuki: Vou trabalhar bastante para que eu tenha condições financeiras de permanecer aqui, pois gosto muito da cidade.

NauticoNET: De onde surgiu o apelido Kuki?

Kuki: Minha avó materna que colocou esse apelido em mim.

NauticoNET: Antes de se tornar um grande jogador e conhecido no cenário nacional, você já pensou em desistir de futebol?

Kuki: Desisti duas vezes de jogar futebol, porquê não tinha retorno e eu gostava de festas e isso é um casamento que não dá certo, mas graças a Deus hoje eu me encontro muito feliz aqui.

NauticoNET: Quais as dificuldades que você encontrou para iniciar a carreira de jogador?

Kuki: Fiz testes nos times do sul, mas não passei, porquê era muito baixo. Certa vez meu tio me levou no Grêmio, eu tinha idade de juvenil, quando o diretor me viu e disse que eu estava morto, não precisava treinar.

NauticoNET: Para finalizar, o que o torcedor pode esperar do Kuki quando ele se recuperar e voltar aos gramados?

Kuki: Á vontade de voltar a jogar é enorme. Quero continuar me dedicando e fazendo gols. É isso que todo torcedor e jogadores gostam!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


5 + = 9

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>