Líder desde cedo

Por: José Gomes Neto

O Náutico é o líder do Brasileirão 2008. Para quem não apostava numa trajetória vencedora, eis que a equipe comandada pelo técnico Roberto Fernandes surpreendeu a gregos & troianos, com seis pontos em duas partidas. Mas, como dizem por aí, “futebol é resultado”, e nada como largar com expressividade e vitórias. É claro que a competição está no começo, mas o time alvirrubro está em fase de formação e precisa de tempo, além de ritmo de jogo, para emplacar e se firmar de uma vez por todas na Primeira Divisão. Mas a personalidade desta equipe irá se consolidar ao longo do campeonato brasileiro.

A experiência mostra que, ao longo destas cinco edições do Brasileirão, manter a fórmula de disputa e os critérios de desempates facilitaram o conhecimento e a assimilação por parte dos dirigentes dos clubes, dos profissionais da bola (dentro e fora das quatro linhas) e do próprio torcedor brasileiro. O Brasileirão de pontos corridos requer acúmulos de pontos e não existe nada melhor do que vencer. Aliás, ergue o troféu aquele que somar o maior número de pontos, ao final de 38 rodadas.

Não interessa se a equipe estava desfalcada, com reservas, sem goleiro, com menos dois por expulsões, alguém pendurado com o segundo cartão amarelo ou muito menos se o gol foi em impedimento. No futebol, a desculpa ou a megalomania servem para o torcedor tirar sarro com o rival, mas é preciso que haja mais critério quando a avaliação é feita por profissionais do setor.

Senão, vejamos: na estréia, o desfalcado Fluminense foi ao Mineirão jogar contra o Atlético Mineiro e ninguém sequer fez gol, o resultado foi de 0 a 0. Já o time meia boca do Botafogo recebeu o Sport, no Engenhão, e não tomou conhecimento do tricampeão pernambucano: 2 a 0 para os cariocas. No domingo (18), o Atlético Paranaense recebeu a garotada são-paulina na Arena da Baixada e travou no 1 a 1. Não adianta inventar critério que não existe! Se o time não é o titular, o resultado é permanente.

Se as equipes têm que se dividir entre outras competições nacionais ou internacionais, a opção é de cada um. Por sinal, é para isso que os elencos são formados nos clubes, desde o início de cada temporada. Ou você pensava que era só para onerar a folha de pagamento, hein? Não há nenhuma novidade nisso e todos já tinham em mãos os calendários. Depois, se é para dar desculpas, então por que essas equipes buscaram a classificação para estas competições? Olha que mar de controvérsia…

Argumentar este tipo de coisa é praticamente aceitar aquele jargão tão comum e acéfalo, de quando um jogador ou mesmo um treinador afirma, ao final da partida não ganha, de que “o time não venceu porque a bola não quis entrar”. Imagine só, uma bola de futebol com vontade própria! Não quero aqui justificar a liderança do Náutico. É líder porque ganhou duas e fez mais gols do que o Cruzeiro. Só para variar, pela primeira vez um time nordestino lidera a competição na era dos pontos corridos. Isso sim é que é pioneirismo pertinente! Os alvirrubros têm mais é que comemorar! Deixa a lamentação para o resto do Brasil…

Depois, todos (de boa fé) estão vendo que a equipe teve atletas estreando e, está sim, em formação. O ala/meia Ruy ainda não estreou, os laterais João Paulo e Itaqui fizeram o primeiro jogo, da mesma forma que o meia Paulo Santos. Pela segunda vez consecutiva – a primeira foi numa partida contra o Sport, na Ilha do Retiro – o goleiro Eduardo defendeu uma cobrança de pênalti. O detalhe é que a falta não aconteceu e o árbitro goiano até que tentou complicar para o Timbu, mas sem o sucesso desejado.

Após os fracassos ocorridos no Estadual e na Copa do Brasil, o grupo passou por uma reformulação e está sendo recomposto. Entrosamento não se adquire nas resenhas esportivas nem nas matérias diárias dos jornais. É preciso treinar e jogar muito para atingir este objetivo. Com titulares e reservas. Também já ouvi dizerem por aí que “não existe esse papo de 11 titulares”. E haja controvérsias…

Agora, após as mesmas duas primeiras rodadas do Brasileirão 2008, quero saber qual é a equipe que está tão diferenciada assim das demais que justifique ser apontada como favorita ao título. E aí, existe essa?! N-Ã-O! Então, vivamos o momento e enalteçamos aquela equipe que é a mais competente até aqui: o Clube Náutico Capibaribe. É continuar o trabalho para conquistar a terceira vitória seguida neste Brasileirão. Cada passo de uma vez, e que venha o Grêmio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


2 + 5 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>