Manutenção e pragmatismo

Por: José Gomes Neto

Não gostei da postura da equipe do Náutico na partida diante do Ipatinga. Nem parecia aquele time vibrante e determinado que goleou o Botafogo por 3 a 0, na rodada anterior. Mas, se considerarmos que o adversário vinha de vitória sobre o rubro-negro baiano por 2 a 0, e estava em casa (apesar dos menos de 3 mil torcedores que foram ao estádio prestigiar o representante do Vale do Aço mineiro), então o ponto conquistado teve grande importância. Primeiro porque somar fora de casa é fundamental, seja um ou três pontos. Depois, o Timbu ratificou a terceira colocação no Brasileirão 2008 e, desde o início, ocupa uma das principais vagas do G-4. O de cima, aquele que classifica os quatro primeiros para a Taça Libertadores, em 2009.

Porém, entre a parte técnica e o futebol resultado, o Náutico parece estar caminhando a passos largos para uma campanha histórica nesta competição. Sei que ainda é cedo para qualquer projeção e que alguns atletas alvirrubros precisam entrar no ritmo de jogo. O técnico Leandro Machado tem muito trabalho a fazer e não vai poder atuar no Caldeirão Alvirrubro diante do Vasco, conforme manobra das cobras do STJD do Rio de Janeiro. Isso sim pode pesar contra o time neste momento de definição.

Mas já se passaram cinco rodadas do Brasileirão e o afunilamento já aponta para uma acirrada disputa entre os 20 participantes da divisão de elite do futebol brasileiro. Na sexta rodada, a próxima, a Copa do Brasil já terá conhecido o seu campeão. À exceção do Fluminense, que a propósito ocupa a lanterna com apenas um mísero ponto, todos os 19 clubes estarão com um único foco: o campeonato brasileiro. Mesmo estando nas finais da Taça Libertadores 2008 (as datas dos jogos contra a LDU serão 25 de junho e 2 de julho) o tricolor carioca se considera por cima da carne seca. Até lá, o time do técnico Renato Gaúcho pode ser ao luxo de “brincar” no nacional, como ele mesmo afirmou para justificar a última colocação.

Bom, de volta ao Náutico, o time precisa ter mais personalidade quando atua fora do Recife. Eu diria até um melhor desempenho. Dos três jogos fora do Eládio de Barros Carvalho, são quatro pontos conquistados em nove disputados. Este retrospecto deve ser melhor observado. Até porque, como a partida do sábado (14) não deve ter como palco o melhor gramado de Pernambuco – ao menos da capital o é – então esta estatística deve ser considerada pelo treinador e comissão técnica alvirrubros.

Não quero entrar no mérito desta nojeira que vem de lá da “cidade maravilhosa, cheia de armações mil”, até porque não estou analisando crime organizado! Mas interditar os Aflitos é, no mínimo, um escândalo sem precedentes. Basta observar as últimas 70 súmulas de jogos oficiais promovidos pela CBF (?) desde 2004. “Apenas” em 68 delas o relatório aponta o gramado do Eládio de Barros Carvalho como bom, ou então adequado à prática de futebol profissional. A ressalva quanto às competições é de que elas foram realizadas em “parceria” de contrato exclusivo de uma rede de televisão e uma associação cujo vulgo é Clube dos 13. O presidente (rei) da CBF só se preocupa com a dolarização da Seleção em partidas de alto nível técnico como Canadá e Venezuela.

A diretoria de futebol do Náutico deve entender que a permanência do Náutico na primeira divisão provoca náuseas aos pseudos desportistas do eixo Rio-São Paulo. A maior dificuldade do time pernambucano este ano será o extracampo. Isso já ficou claro quando o ala/meia Ruy pegou cinco partidas de suspensão por suposta uma agressão que sequer se concretizou. Imagine…

Os adversários dentro de campo não metem tanto medo quanto os engravatados mafiosos por trás dos seus maquiavélicos birôs, togas e apitos. Acima do bem e do mal eles são a representação divina na terra dos sem lei. Não vejo nenhuma equipe superior a ponto de ser apontada como grande favorita ao título desta edição. Equilíbrio ali, surpresa acolá, nada que não tenha acontecido num jogo de futebol onde apenas importa que faça gols.

Então vejamos como será o desenrolar de um julgamento que, ao meu ver, já está decidido e onde o crime compensa. E recompensa (como diria o cantor e compositor Léo Jaime). O estádio do Náutico está interditado, enquanto o depravado defensor do Botafogo está apto para atuar neste final de semana. O Brasil é o país do futuro! A Copa do Mundo é nossa! E ainda podemos encontrar quem acredite que o bloco do sanatório geral vai passar nesta avenida…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


4 − 4 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>