Nos Aflitos, o de sempre

Por: José Gomes Neto

O Náutico mais uma vez mostrou porque é conhecido como demolidor dos Aflitos. Desta vez, a vítima foi o Central. O time de Caruaru entrou na onda que fizeram em seu favor, acreditou que era uma equipe capacitada a ganhar do Alvirrubro, e acabou pagando caro pelo chocolate de Páscoa. A bordoada por 5 a 0 só ratifica a condição de ascensão do Náutico, na temporada.

Não que a equipe esteja pronta. Mas o time mostrou um futebol aplicado, competitivo e envolvente. Mesmo com as ausências do meia Marcel e do atacante Felipe, que são peças importantes no atual esquema tático do time. Apesar disso, o time teve a competência necessária de engavetar a maior parte das oportunidades criadas. Mas, no mínimo, teve outras três reais chances desperdiçadas.

Por sinal, os zagueiros alvirrubros vêm se destacando quando o assunto é gol de cabeça. Na inauguração do placar eletrônico Valença fez as honras, diante do Paysandu, pela Copa do Brasil. Diante da Patativa, pelo Estadual, foi a vez de Alysson. É isso aí, o zagueiro tem que contribuir com o ataque também!

Porém, nem tudo saiu a contento na partida. Houve momentos em que o meio-de-campo não criava, o futebol burocrático aparecia e cansava a torcida. O pior de tudo é que Cristian está me preocupando seriamente. O futebol que o projetou em outros clubes ainda não chegou ao Recife. Da mesma forma, Beto Acosta precisa estar mais aceso e ser menos acrobático. Ele deve jogar para o time.

O atacante Almir Sergipe mostrou que quer lutar e ganhar outra oportunidade na equipe. Ele sabe fazer gols e precisa readquirir a confiança necessária de ser uma das opções para o decorrer da temporada. A grata surpresa foi o jovem Anderson, de 17 anos. O garoto tem um futuro promissor e já teve o seu batismo diante do Central. Bola para frente garoto!

Quanto à saída do zagueiro Índio, espero que ele seja feliz na sua vida profissional. Insatisfação de jogador reserva faz parte do futebol, mas a vida continua. O momento pede serenidade e agora é encerrar o Pernambucano com mais uma vitória, dessa vez contra o Vera Cruz. O incentivo para jogadores e a torcida é a revanche. Esse time ganhou do Náutico por 2 a 1, no Carneirão, e merece sentir a fúria do Timbu.

Em termos de Copa do Brasil 2007, o sorteio para decidir a partida contra o Corinthians me agradou. O Náutico vai receber o time de Parque São Jorge no dia 18 de abril (quarta-feira), provavelmente às 21h45, nos Aflitos. Chegou o grande momento de o Náutico fazer valer a sua máxima e atropelar o “timinho” paulista – lembrando que já expliquei o significado do termo Timão (direção de embarcação náutica).

Com todo respeito, mas o que o Corinthians tem de grande, atualmente, é a sua crise. Não interessa quem é o time adversário, mas quem irá compor a equipe alvirrubra nesta decisão. A obrigação do torcedor timbu é total de lotar o estádio e jogar junto com o Náutico rumo às quartas-de-final da competição. Nossa obrigação é aprofundar a crise dos paulistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


+ 3 = 8

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>