Numa noite em que nada deu certo

Por: AlieNáutico

Recife, 13 de Março de 2008

Semana importante e cheia de expectativa. Clássico no domingo, primeiro do ano, da temporada. Mas antes, Ypiranga. Jogo que todos sabiam que não ia ser fácil. As duas equipes com um longo período de vitórias, invictas. Náutico sem seis atletas. Geraldo e Vagner cumpriram suspensão e quatro no DM. Improvisação na lateral-direita e por ai vai.

Jogo começou e logo sofremos um gol. Sete minutos depois outro. Algo estava errado. Náutico apático, confuso. Quando começou a melhor, esbarrou em duas coisas: no goleiro Romero e no azar. A noite era daquelas que a bola não queria entrar, que nada dava certo. Que trave, montinho, rede do lado de fora, tudo era motivo para o gol não sair. Ainda levamos terceiro. E nada de reação. Mudanças foram feitas, mas nada.

Até que um pênalti, aos 33, fez a bola finalmente entrar. Só assim mesmo. Poruqe de jogo mesmo, de bola rolar, não entrava nem que se até hoje estivesse jogando. Aos 47, mais um pênalti. Mas ai era tarde demais. Acabou a seqüência de vitórias, eram nove. Mas desespero? Nada disso. A próxima seqüência começa domingo. Fé inabalável. Porque vamos desistir agora? Acredito até o fim.

E assim espero que todaz a torcida acredite também. Vamos lotar o caldeirão. Precisamos disso. Queremos ver nosso elenco de frente para eles. Para ganharmos, dentro de campo, jogando bola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


+ 6 = 10

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>