O efeito Náutico

Por: José Gomes Neto

Ainda faltam sete rodadas para o encerramento do Brasilerão 2007, mas a reação apresentada pelo Náutico, ao longo dos últimos nove jogos, já é suficiente para se afirmar, com todas as letras, que o Timbu vai continuar na elite do futebol nacional, em 2008. “Queira ou não queira os juízes…”

Costuma-se dizer que contra fatos não há argumentos. Mas a regra muda vertiginosamente quando o assunto em questão é o Clube Náutico Capibaribe. A tese é de que o Náutico não é confiável, oscila nas horas decisivas, e as falácias vão por aí afora… Sem comprovação nem critério das análises.

Tirando como referência, única e exclusivamente, as últimas nove partidas do Náutico na competição foram seis vitórias, dois empates e apenas uma derrota. São 20 pontos conquistados em 27 disputados. Uma série invicta de seis partidas e cinco vitórias seguidas – fato conquistado apenas por Náutico, São Paulo e Fluminense, dentre os 20 times da Série A.

Como não confiar numa projeção favorável nesta reta final para uma equipe que comprova, dentro de campo e a cada rodada, que possui time, elenco e futebol para seguir adiante na busca de uma vaga para estar na Sul-americana no ano que vem?

Mesmo que se odeie o Náutico, é impossível não admitir tal constatação! A lição aplicada no vice-líder Cruzeiro, dentro do Mineirão, e sem a presença de seis titulares, é o dado final desta prova inconteste. Depois de estar perdendo por 2 a 0 no primeiro tempo, o Timba mostrou que está disposto a estragar a festa de muita gente.

Não adiantou o capcioso árbitro carioca tentar apagar a estrela do artilheiro Acosta tirando-o do campo antes que ele virasse o jogo pra cima dos mineiros. Que coisa tendenciosa, hein, Gutenberg…

O cara apanha o jogo inteiro, não conseguem tirar a bola dos seus pés sem ser na base da pancada, mas ele não tem o direito de revidar o tratamento sequer numa única jogada, pois é expulso veementemente! Já está mais do que na cara que querem riscá-lo do mapa do Náutico nos próximos jogos!

Ora, isso fede a armação e favorecimento ao combalido timinho de Parque São Jorge. Mas não tem problema. Acredito que o Náutico, mais uma vez neste ano, vai passar por cima desse deletério protegido da CBF, Clube do Treze, imprensa nacional, arbitragem, enfim, máfia S/A em geral.

O problema em si não é nem o fraco time do Corinthians, mas o seu ardiloso esquema que vai entrar em ação neste domingo (21), nos Aflitos. Aposto que quem vai apitar é Vagner Tardelli ou mesmo Carlos Eugênio Simon – ambos da Fifa.

Porém, de novo, o Náutico vai encarar o freguês pela quarta vez nesta temporada. Vamos ganhar DE NOVO, Náutico!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


5 − 1 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>