Perseverar é preciso… Vencer também

Por: José Gomes Neto

Dos males o menor. Se antes era o Náutico quem ficava com vantagem numérica em campo, e não conseguia vencer, agora aconteceu o contrário. Com um jogador a menos desde os 36 minutos do primeiro tempo, o Timbu Coroado reagiu e, se não ganhou, ao menos garantiu um ponto contra o internacional. De quebra, evitou o que poderia ser pior: a quinta derrota seguida no Brasileirão 2007.

Porém, ainda não foi dessa vez que o Náutico voltou a ganhar e mostrar que tem condições, e futebol, para permanecer na Série A, em 2008. Não adianta fazer contas nem olhar para trás: restam 15 partidas e todas elas dependem, única e exclusivamente, da atitude dos jogadores alvirrubros. Oito vitórias garantirão o Timba na elite nacional na próxima temporada.

Aliás, a mesma iniciativa que os dez guerreiros mostraram diante de uma equipe que ocupa a 10ª colocação na competição – o Inter -, e contra os árbitros tendenciosos (canalhas, mesmo!) que vêm apitar os jogos aqui no Caldeirão Alvirrubro. A dobradinha Rio-São Paulo é tão escancarada que já ta cara qual é a da digníssima Comissão Nacional de Arbitragem.

Quer apostar que o próximo árbitro de um jogo do Náutico, nos Aflitos, será de São Paulo? Vou dar uma dica: a partida será diante do Botafogo! Vejam que coincidência será!!!!!!

Para quem acha que estou dando desculpas, vou citar o exemplo dado por um dirigente do Palmeiras que execrou Wilson Souza e companhia. O time verdinho dele está na sexta posição, com 36 pontos, mas amargou uma goleada de 5 a 0 para o Cruzeiro, em pleno Mineirão.

Pois é… Me lembro de quando o Náutico perdeu para um misto de São Paulo & Wagner Tardelli, no Morumbi e com o mesmo placar, mas não havia “como negar a superioridade do adversário”. E olhe que o Palmeiras é do maior centro esportivo de futebol do País! Imagine se fosse do Piauí, hein!?

Bom, não vejo o porquê de tanto escândalo. Assim como fazem costumeiramente com o Náutico, usam dois pesos e duas medidas. É isso aí torcedor alvirrubro. É mais ou menos como a atitude do atacante Hugo, do São Paulo, que cuspiu no volante do Paraná, ao invés de ter sido “no prato que comeu.” É… Se bem que não deixou de ser no prato que goleou…

Se o time não voltou a ganhar, a hora será no confronto diante do Paraná Clube – que aliás fora goleado e cuspido, literalmente, na rodada anterior. Não tem nada perdido! O Náutico provou, na prática, que pode reverter o quadro! Depois, só você é quem pode, e deve, levar o seu apoio ao time.

Não espere por corporativismo de ninguém! Esse papo furado de que “é Pernambuco” não me convence mais. Existe muita hipocrisia nessa conversa diplomático-fiada de cronistas que só estão esperando pelo pior para dar “uma opinião sincera, longe do calor das arquibancadas”. Cuidado com esses caretas de plantão!

O Náutico demonstrou que coragem, determinação e vontade de vencer podem mudar toda a dinâmica da crônica de uma morte anunciada. Nada está decidido e as exceções do Brasileirão são o líder São Paulo e o lanterna América. O resto está para acontecer e não se pode esperar para ver. O ideal será fazer acontecer para comemorar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


5 − 3 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>