Pré-temporada com sabor de derrota

Por: José Gomes Neto

A estréia do Náutico no Pernambucano da Série A1 2008 não foi das melhores. O esboço da equipe que esteve em campo diante de um Serrano empolgado pelo fato de poder receber um time grande naquele projeto de gramado – aprovado pela conivência da Federação Pernambucana de Futebol (FPF) -, não correspondeu à expectativa do treinador Roberto Fernandes e muito menos a do torcedor alvirrubro.

O resultado em si não é o principal, tem muito mais a ver com o contexto da avaliação que o próprio Roberto Fernandes fez, ao término dos sofríveis 90 minutos de partida. Se bem que, como o jogo não foi transmitido pela televisão, e se resumia a brechas regulares – pois as rádios narraram o jogo do Arruda – não há como emitir uma opinião própria sobre o confronto, pois não estive lá em Serra Talhada.

Porém, não houve nenhum momento em que se registrou um time sertanejo soberano, impondo o seu ritmo de jogo e deixando o Timbu na roda. Com um futebol envolvente, competitivo, de fato. Falhas coletivas, e individuais, pontuaram a atuação do Alvirrubro, segundo críticas do próprio treinador.

Corrigidas as falhas apresentadas pela equipe na estréia, o Náutico deve partir para a reabilitação, na segunda rodada, diante do co-lider do Grupo A: o Centro Limoeirense. Uma vitória do Timba nos Aflitos, e também do Porto contra o Serrano, em Caruaru, e tudo se iguala.

Não adianta cair no vazio da futurologia, pois o pontapé inicial foi dado neste final de semana. Além de cedo, não há subsídios (táticos e nem técnicos) suficientes para se afirmar, baseado em dados concretos, quem desponta como favorito ao título do primeiro turno.

É bem verdade que o Náutico iniciou com derrota na “pré-temporada estadual”. No entanto, 13 jogadores vão estrear no time e muito ajuste ainda sra feito até que comece, de fato e de verdade, a temporada-08: leia-se Copa do Brasil e o campeonato brasileiro da primeira divisão. Até lá, vejamos o que será realizado pela diretoria e comissão técnica alvirrubras.

Arbitragens – Não custa lembrar que três equipes saíram beneficiadas com erros de arbitragens, enquanto duas reclamam a falta de um apito amigo, na rodada de estréia do Estadual. Na partida do sábado, na Ilha do Retiro, o senhor Ricardo Tavares, deixou de marcar um pênalti a favor do Salgueiro, quando o jogo estava 1 a 0 para os donos da casa. Em compensação, ele inventou um pênalti a favor do Sport, quando nem precisa, pois os leoninos venciam por 3 a 0.

No Arruda, a benevolência de Nielson Nogueira, que distribuiu pênaltis. Um para o Ypiranga e o derradeiro para o Santa Cruz. Diga-se de passagem, ele compensou o erro cometido no primeiro tempo e, com isso, errou por duas vezes.

Só para variar, o senhor Antônio André anulou um gol do Náutico, em Serra Talhada. O fator que mais chama a atenção é que, a jogada que originou no gol do Serrano é praticamente igual ao gol alvirrubro. Estranho, né!?

Diante de tais fatos, não custa nada perguntar: qual será a medida a ser tomada pela Comissão Estadual de Arbitragem?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


− 3 = 1

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>