Quase que eu perdi as contas

Por: AlieNáutico

Recife, 18 de Fevereiro de 2008

Outra competição, novos ares, mas o objetivo o mesmo, vencer. Foi assim que o Náutico estreou na primeira fase da Copa do Brasil, em Manaus, diante do Atlético Roraima. Adversário desconheço mas, nem por isso menosprezado. Mesmo Roberto poupando alguns titulares, nada de já ganhou. Respeito acima de tudo.

Gramado do estádio Vivaldão, quase que acabado. Duas estréias no time alvirrubro, Paulo Almeida e Wellington. Partida começa com o Náutico pressionando e antes dos 10 minutos, Marcelinho fez 1×0 cobrando falta. Antes dos 20, Wellington marcou o segundo e depois Berg ampliou, 3×0. Para fechar a primeira etapa, Paulo Almeida de pênalti, fez 4×0. E olhe que era cada gol que o Náutico perdia. Com o apito final do primeiro tempo, parei e recontei os gols, haviam sido quatro mesmo.

No segundo tempo, o início pareceu que o Náutico tinha se acomodado. Nada de gol sair. Já estava triste quando Kuki marcou o seu. E olhe que o baixinho antes havia perdido umas cinco chances de fazer o gol. O sexto veio com Alex Sandro e o sétimo e último, com Danilo Lins. E acredite, o melhor jogador em campo do time adversário foi o goleiro Marcelo. Se não fosse ele, teria o Náutico feito mais uns quatro, no mínimo. Mas, valeu. E como! Maior goleada da competição. 7×1, nem o mais otimista pensava neste resultado. E aplausos para Roberto Fernandes, que mais uma vez acertou no planejamento que traçou. Agora, é só ficar no aguardo do próximo adversário: Coruripe ou Juventus. Que venha qualquer um, eu quero é vencer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


9 − = 6

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>