Um dia que nada deu certo

Por: AlieNáutico

Recife, 05 de Novembro de 2007

Antes da bola rolar, a partida para o Náutico era encarada como mais uma decisão, já para o Fluminense, apenas mais um jogo. O Timbu sem três desfalques, cansado, mais confiante. Nada de invenções ou mistério na escalação do time. Roberto colocou o que tinha. Mas quando a bola começou a rolar, o Náutico fez um de seus piores jogos do Brasileiro. O futebol apresentado foi fraco. O time estava pesado, sem raça, garra.

Poucas foram as chances de gol que o Náutico teve. Os jogadores não se encontravam dentro de campo e o Fluminense, que tem um time limitado, abriu o placar pela esquerda numa tabela de Gabriel e Arouca, que comandaram o jogo. O treinador Roberto Fernandes ainda mexeu notime, mas de nada adiantou.

Na segunda etapa, o Alvirrubro ainda voltou menos ruim, mas nada do gol. E aos 36, mais uma vez, Arouca e Gabriel fizeram a festa e o segundo dos cariocas. Logo depois, quando se pensou que tava sacramentado o resultado, em uma jogada esquisita, o árbitro marcou pênalti. Agora??? Antes teve dois e o individuo de Brasília que sempre apitou bem, mas ontem não, havia deixado passar. Acosta foi para cobrança e fez. Mas não deu tempo de uma reação. O time estava morto, fraco.

Agora, é recuperar as forças, juntar os cacos e se preparar para a grande batalha. Náutico e América de Natal, sábado, nos Aflitos. É tudo ou nada! E eu, aposto no tudo. Por que quando fomos incompetentes, a sorte nos ajudou. Só dependemos de nós e de mais ninguém. Eu acredito e peço a você, que também acredite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


− 8 = 1

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>