ENTREVISTA

Após o jogo deste sábado (29) na Itaipava Arena Pernambuco, última rodada da série B 2014, contra a Ponte Preta. O presidente do executivo Glauber Vasconcelos, falou em coletiva de imprensa. Entre agradecimentos e esclarecimentos, o presidente também respondeu a algumas perguntas dos repórteres presentes.

Sobre sua viagem ao exterior.

“Eu queria dizer que a viagem que fiz tinha dois focos, eu iria fazer uma viagem de três dias e voltava pra são Paulo pra ter um encontro com uma pessoa pra tratar de um assunto de interesse comum, interesse do nosso clube. Essa viagem estava marcada há quatro meses. Eu queria corrigir só um fato, eu não viajei com jogadores em greve, eu viajei no domingo à noite e isso não existia. Mas o Clube Náutico Capibaribe, no momento que estamos vivendo, na gestão que nós temos, que estamos desenvolvendo, não vive de uma pessoa, nós temos dois vices, que por sinal, quero dar os parabéns a condução dos trabalhos do vice-presidente e presidente em exercício, porque quando eu me ausento, eu deixo por escrito uma substituição pra qualquer eventualidade, qualquer acordo, qualquer assinatura, qualquer discidade de oposição formal seja feita por Gustavo Ventura, e eu queria dar os parabéns a Gustavo Ventura, pela condução, a Durval Valença pela condução, pelo apoio, pelo suporte aos diretores que estiveram sempre juntos, e dizer que desde que nós saímos da idade da informação para a idade do conhecimento, não existe mais distância, todos os dias eu falei, de manhã, de tarde e de noite e as vezes até de madrugada devido ao fuso horário, com todos. Então, eu acompanhei, vivi e discuti, tratamos dos assuntos todo santo dia.”

Os problemas que surgiram na temporada.

“A luta por recursos não vem de hoje, a luta dos recursos vem de janeiro, a luta de recursos vem de recompor, infelizmente nós tivemos uma perda monstra de receita com o rebaixamento, um desgaste muito grande de imagem com os acontecimentos, inclusive com uma infelicidade, aquele cavalinho do Fantástico que trouxe muitos aspectos negativos pra gente. Porque, até a final do Pernambucano, só se falava nesse cavalinho do Fantástico, até a filha do Lisca disse: “papai você vai para aquele time que o cavalinho morreu?” Pois bem, essa luta vem desde janeiro, nós estamos lutando todos os dias, o Clube tem problemas crônicos inerentes de um Clube que tem um desenvolvimento longo e uma vida efetiva de um funcionamento longo, e estamos vivendo e trabalhando pra resolver esses problemas. Tivemos vários problemas novos que apareceram nesse segundo semestre, em especial com as diversas penhoras que surgiram, que nós tivemos que envidar recursos, negociações, um trabalho fortíssimo para vencer e não perder a sede, e você já com recursos parcos, ainda tendo que direcionar parte desses parcos recursos para enfrentar penhoras que não estavam sobre nosso controle, porque infelizmente não tinha essa informação, não podíamos prever que o resultado chegasse a uma penhora, trouxe mais dificuldades ainda para o desenvolvimento do assunto e dizer que pagar é uma obrigação, trabalhar para receber também, e a união dessas duas obrigações que leva ao sucesso. Infelizmente nós tivemos esses problemas, nós estamos fazendo um esforço essa semana, de captação para concluir os ajustes para colocar também, eu já disse uma vez e vou repetir, o que mais me dói o coração, é você ver uma pessoa ganhar pouco, que eu tenho exemplos lá no Clube, e que estão passando por alguma dificuldade, isso me dói muito, isso tem me tirado o sono, isso tem tirado o sono de Gustavo, de Durval, de Lindemberg. Nós nos comunicamos normalmente duas, três hora da manhã havendo possibilidade para o dia seguinte, muitas opções de aconteceram e depois deixaram de acontecer, muitas promessas de algumas peças, inclusive do próprio Náutico, dizendo possibilidades de patrocínio, mas depois as coisas não vingavam. Tivemos um ano de impressionantes 45 dias paralisados em jogos, tivemos um ano da ideia do calendário de não se trabalhar no mês de dezembro, nem janeiro, isso já preocupa, mas eu queria lembrar que nós vamos jogar em fevereiro, estaremos jogando com a torcida, um novo dia, uma nova organização. Vamos trabalhar, basicamente, na conversa com jogadores que se disponha a continuar, trabalhar com os que nós temos interesse.”

Arrependimento.

“O único arrependimento que tenho é não ter conseguido captar o que esperava que ia acontecer. Quero dizer que não falta esforço para fazer um Náutico melhor. Com muito sacrifício conseguimos montar um time, fizemos um esforço grande pra tentar fazer feliz o sócio torcedor, a comunidade toda do Clube Náutico Capibaribe.”

Sobre o elenco de 2015.

“Próximo ano vamos trabalhar com um time pré-montado, utilizar os valores que estão despontando da base, o João Ananias hoje não é mais um valor, é um titular absoluto em qualquer time de serie B do Brasil, quiçá de serie A. O menino está jogando muito, tenho orgulho de ter um relacionamento muito bom com o João, um menino maravilhoso. Certamente, a partir do dia de hoje, nós vamos intensificar os contatos. Muitas vezes o jogador coloca que não foi contatado, mas o empresário foi e ele não está a par do andamento, mas eu diria o seguinte, contatos foram feitos e prosseguirão nesse esforço de fazer um time forte, lógico, reconhecendo as limitações que nós temos. Vai ser uma folha pra se lutar mais com o pé no chão, porque as contratações serão pontuais, serão dirigidas, serão localizadas e não na necessidade de montar um time de emergência para um campeonato, é completamente diferente. O ano que vem vai contar com dois fatores diferentes desse ano, primeiro a experiência do ponto de vista da realidade do Clube, dos limites do Clube, e segundo, a nossa pré-condição de estarmos no mercado antes do dia 2 de janeiro.”

Sobre a carta dos jogadores veiculada durante esta semana.

“Sobre a carta que não tem assinatura, que ninguém sabe que cor tem ou o que diabos aconteceu, eu quero dizer que, uma carta que não tem assinatura e que se dirige a um homem de bem, de respeito, sério, trabalhador, empresário de sucesso, e na hora que um empresário do porte de Barbosa, deixa de se dedicar ao seu trabalho, e se dedica ao Náutico, ele está gastando pra se dedicar ao Náutico, porque ele poderia estar ganhando mais e ele está se dedicando. Ele tem de nós, da minha parte, da parte do vice Gustavo Ventura , Durval Valença e dos outros diretores, a total, incondicional situação de apoio e respeito. Ele é uma pessoa que tem um amor tão grande ao Náutico que as vezes é incompreendido.”

A renovação com o técnico Dado Cavalcanti.

“Vem decorrendo a alguns dias, Dado é um técnico que tem valor, é um jovem, é um menino que merece todo respeito da torcida, da direção, pelo trabalho que fez, e vamos conversar com ele exaustivamente para tentar mantê-lo, mas eu queria lembrar a todos que o Náutico é grande, estar no Náutico tem que ser considerado com também uma honradez, e não um demérito, as pessoas que vem pro Náutico sabem que vem pra uma instituição de 113 anos que está passando um ano de dificuldades, assim como já aconteceram outros. O planejamento para o próximo ano está encaminhado e precisa passar por uma conversa com ele, porque não posso dizer que está pronto se o técnico não quer ficar, isso tem que se fechar com ele, e essa semana iremos fechar esse assunto. Tenho certeza que semana que vem iremos dar uma virada, e uma virada significativa.”

Adiantamentos financeiros.

“Nós fizemos algum adiantamento, o que estamos fazendo é lutando com as armas q estão disponíveis no mercado e essa são as armas disponíveis. Ano que vem tem algumas sinalizações completamente diferentes, algumas que não posso revelar ainda, mas são completamente diferentes. Minha missão no clube é reergue-lo, é fazer com que ele volte ao patamar que ele merece, e para isso eu lutarei até o fim. Me sinto sufocado sim, perdi meu sono sim, tenho prejudicado minha saúde sim, tenho prejudicado minha vida profissional sim, mas nada disso suplanta o amor e a dedicação que tenho pelo Clube Náutico Capibaribe, e nada disso fará com que eu abra um milímetro de honrar os 73% de voto que tive, e o respeito que a torcida tem por nós. Estamos aqui para fazer um Náutico feliz para o sócio e o torcedor.”

Júnior Boo/Imprensa Náutico

7 respostas a ENTREVISTA

  1. roberto timbu disse:

    fora presidente pinoquio e vagabundo, volta pra Miami e fica por la de uma vez.

  2. Sou sócio patrimonial do Náutico e resido em Nossa Senhora da Glória/SE. Se todo alvirrubro seguisse o meu exemplo, estaria sem dúvida alguma resolvido a situação do Náutico.

  3. colorau disse:

    um prato de conversa e 1 xícara de nada

    TORCIDA NÃO TEM CULPA DE NADA
    O NAUTICO A TORCIDA É DIMINUTA
    QUALQUER TORCIDA QD O TIME TÁ RUIM SOME
    E NOSSA TORCIDA É A MAIS SOFREDORA DO NORDESTE
    E AINDA VEM CULPAR A TORCIDA, QUE ISSO

    QUEM É LOUCO DE SE ASSOCIAR A UM CLUBE QUE NÃO GANHA NADA DE TÍTULOS, NÃO OFERECE NADA, DIRETORIAS SEM COMPROMISSO COM O TORCEDOR
    NG É TROUXA DE ENTREGAR SEU DINDIN SUADO A CLUBE DE FUTEBOL QUE É 1 CAIXA PRETA
    ENQUANTO O CLUBE NÃO TIVER DIRETORES DE CONFIANÇA VAI SER ESSE SOFRIMENTO ETERNO AGORA 1 PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR
    PQ TANTA GENTE QUER SER PRESIDENTE DE CLUBE FALIDO DE FUTEBOL NO BRASIL?

  4. JUNIOR-CAJÚ disse:

    esse senhor é uma vergonha para o CNC, vamos fazer um protesto pedindo saida desse vagabundo…..

  5. Paulo disse:

    Se a torcida ajudasse mais, talvez o resultado fosse melhor. Fazer futebol no Brasil cheio de corruptos e maus carácteres, já é difícil, imagine além dessas dificuldades não ter dinheiro. A torcida do Náutico tem direito a 15.000 todos com a nota e durante este ano, em nenhum jogo, a torcida reservou a totalidade do TCN. Gláuber não merece nota 10, mas a torcida também deixou a desejar.

  6. Aldo Sá disse:

    Blá, blá, blá, blá…

    Desse mato não sai coelho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


7 − = 1

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>