Veterano, Fabiano Eller tem experiências inéditas no Náutico

Aos 37 anos, o zagueiro Fabiano Eller tem em sua galeria de títulos conquistas dos quilates de Taça Libertadores e Mundial de Clubes . Após rodar por clubes de menor expressão, o experiente defensor foi contratado pelo Náutico e viu no time pernambucano a chance de viver coisas novas, mesmo após quase 20 anos de carreira como jogador profissional.

Quando Eller marcou um gol sobre o Palmeiras com a camisa do Red Bull, muitos recordaram daquele zagueiro do Internacional que conquistou várias glórias. Eller estava sumido dos holofotes defendendo São José-RS, Audax Rio e por último Red Bull Brasil. No entanto, o bom futebol demonstrado no Estadual abriu as portas de um clube tradicional do futebol brasileiro. A diretoria alvirrubra buscou em Fabiano Eller a experiência que precisava inserir na defesa da equipe.

A aposta da diretoria tem dado certo neste início de Campeonato Brasileiro Série B . Apesar de ter conhecido a primeira derrota neste fim de semana, o Náutico é o vice-líder do campeonato e tem a segunda melhor defesa com quatro gols sofridos em sete jogos.

Após 15 clubes na carreira, incluindo futebol brasileiro, europeu e do Oriente Médio, Fabiano Eller se deparou com experiências inéditas nas primeiras semanas com a camisa do Náutico. O calor do Nordeste quase fez o zagueiro desistir. O café da manhã nordestino é outra particularidade que chamou atenção do jogador, que curte sua fase no clube pernambucano e ainda não pensa em pendurar as chuteiras.

Confira a entrevista com o zagueiro do Náutico:

Terra: Você jogou o Paulista no Red Bull e agora assinou com o Náutico. Como é voltar para um clube de expressão como é o Náutico?
Fabiano Eller
: Para falar a verdade eu não esperava jogar mais por um clube de expressão como o Náutico, com torcida, passagem pela Série A , com história. Estava no Red Bull e antes tinha trabalhado no Audax com a mesma diretoria, estava em um projeto. Não sabia da projeção que um clube como o Red Bull poderia dar, o Náutico estava acompanhando e isso é legal, os clubes estarem acompanhando tudo. Para mim foi interessante, estou feliz para caramba de ver que meu trabalho está sendo reconhecido novamente. Cheguei aqui e joguei sete partidas, estou conseguindo fazer um bom trabalho. Apesar da idade, estou podendo ajudar a equipe e render em alto nível.

Terra: Aos 37 anos, você está jogando pela primeira vez na Série B e também pela primeira vez no Nordeste. Como está sendo essas novas experiências em sua carreira?
Fabiano Eller
: Está sendo maravilhoso, ainda mais com o bom início da equipe. Tem uma história até engraçada, porque a expectativa era ficar no Red Bull, saí de férias, fiquei 20 dias parado e o condicionamento do jogador é perdido muito rápido, mas também se ganha muito rápido. No primeiro dia de clube, no Náutico , fiz um teste físico com complemento depois, só que estava muito calor. Eu tinha perdido meu condicionamento, me perguntei o que estava fazendo no futebol ainda, quase desisti por causa do calor (risos). Estou muito satisfeito com o clube, é muito acolhedor e tem ambição de subir. Caí no time certo. É a primeira vez que disputo a Série B, sei que é muito puxada, com jogos um em cima do outro e com muitos clubes brigando pelo acesso.

Terra: Tem dado certo a estratégia de mesclar os jovens do Náutico com a experiência de jogadores como você, Júlio César, William Magrão?
Fabiano Eller
: Os clubes têm feito isso no futebol brasileiro, colocado alguns jogadores com experiência para dar suporte aos meninos que estão começando agora. São vários fatores, não estou falando só do Náutico, pela dificuldade financeira, por não poder contratar 25 jogadores com altos salários e a necessidade de revelar jogadores, colocam os garotos da base. Os jogadores mais rodados são importantes para dar esse suporte para a molecada. Essa mescla é fundamental.

Terra: O Náutico começou muito bem a Série B. Existe um caminho para manter um desempenho satisfatório que leve o clube à Série A ao fim do campeonato?
Fabiano Eller
: O caminho é não se empolgar. Ter os pés no chão, humildade, sabemos que apesar de nosso time estar na frente sabemos reconhecer que existem outros clubes com potencial, isso é importante. O Botafogo vai brigar pelo acesso e pelo título, o Ceará também vai crescer, o América-MG , entre outros. O que fazemos é planejar cada jogo. No começo da competição conseguimos tirar pontos de clubes que vão brigar pelo acesso e isso foi muito bom. É manter os pés no chão, sem achar que está excelente, que não precisa melhorar.

Terra: Você é um jogador que possui vários títulos. É uma ambição ganhar uma Série B? Qual é a ambição de um jogador de 37 anos?
Fabiano Eller
: Eu nunca pensei em ganhar um Brasileiro Série B para aumentar meu currículo. Acho que enquanto estiver jogando preciso mostrar resultado. Eu sempre quero fazer história dentro do clube, ser lembrado por ter feito a diferença, tenho prazer em jogar futebol e não quero ter minha história manchada no fim de carreira. Aí é que a responsabilidade aumenta. E o legal nesses quatro últimos anos da minha carreira é que tem feito muita diferença. Fui indicado para a seleção do Campeonato Gaúcho , do Carioca pelo Audax, ajudei o Red Bull no acesso. Quando terminar não quero ter minha carreira manchada, quero fazer história no Náutico e ser lembrado quando vier fazer uma visita. Estou feliz, mas vou ficar mais feliz ainda se atingir o objetivo do clube no fim do ano.

Terra: Por enquanto nem pensar em colocar ponto final na carreira de jogador?
Fabiano Eller
: Toda vez que penso em poder parar aparece uma proposta para mim. Se vem proposta é porque estou conseguindo render. No futebol o pessoal tenta errar muito pouco nas contratações, todo mundo contrata pelo momento que ele está vivendo. Quando vim para o Náutico é porque viram o Campeonato Paulista que estava fazendo. Antigamente planejava uma data, mas agora ficou planejando a cada seis meses, fico observando se estou rendendo bem, dando resultado pelo clube. Não adianta ficar jogando, mas capengando, por enquanto estou conseguindo jogar. Enquanto conseguir marcar os atacantes vou continuar jogando, é que gosto de fazer.

Terra: Além do calor tem alguma coisa que está difícil de adaptar em Recife?
Fabiano Eller: Até agora não tem nada que possa reclamar, além do calor. Mas até que agora deu uma diminuída, na parte da manhã é quando a temperatura fica mais elevada. Eu acho algumas coisas estranhas, o café da manhã é praticamente um almoço, eu acho estranho, não consigo. Acho engraçado, eles colocam banana cozida, inhame, carne seca, cuscuz, mas é a tradição deles, vem desde a infância. Acho muito engraçado. Brinco com eles, imagina se eu comesse isso desde os dez anos? Iria jogar até os 50! Ainda bem que não comi, que daí eu paro para dar lugar para os mais jovens.

Por: Paulo Bezerra Di Medeiros – Especial para o Terra
Foto: João Paulo Di Medeiros – MEI João Paulo Bezerra Di Medeiros – Especial para o Terra

12 respostas a Veterano, Fabiano Eller tem experiências inéditas no Náutico

  1. Nildo Gomes disse:

    Cadê os atacantes diretoria burra?
    Acabem logo com essa tal de “PANELA LISCA” antes que seja tarde demais.

  2. JOSE ALVES disse:

    Pelo amor de Deus vamos arrumar um atacante Diretoria veja se ouve o clamor do Lisca
    Se contratar os 5 que lisca pediu vamos para 1ª divisão se não contratarem vamos ficar na 2ª

  3. Bruno Marinho disse:

    O Náutico não jogou mal, só faltou um centroavante bom para botar a bola para dentro.

  4. Paulo Araújo disse:

    Essa é a torcida do Náutico. Passiva, inerte, e muitos coniventes com os ladrões que saquearam o Clube por décadas.

    Só reclamam, desdenham do treinador, e não pagam sequer uma mensalidade de R$ 20,00 pra ajudar o Clube. Imprestáveis que não servem para nada em relação ao Náutico. Reclamar sem ajudar é inútil, assim como só vibrar quando o time ganha, e achincalhar quando o time perde. Isso não é torcedor.

    Por isso, sofremos com uma torcida pequena e uma quadro de sócios digno de um Bangú. Pessoas inúteis, que se dizem torcedores do Náutico, mas vivem chorando porque “a arena é muito longe” e não contribuem sequer com uma mensalidade básica de sócios. Vocês não são o futuro do Náutico!

    • Luiz Antônio disse:

      Paulo, parabenizo você por suas palavras.
      O NAUTICO tem sido um clube sozinho, sem força de torcida, pequenos colaboradores, lutando contra tudo e todos. Se lutar dentro dos campos está cada vez maior, imagine lutar contra nós mesmos.
      Ninguém ganha nada sem luta, despertar a união de todos para a vitória será sempre preciso no NAUTICO, mas nossa maior e consagradora vitória será vencer a nós mesmos, derrotar esse inimigo que está do nosso lado vestido de vermelho e branco travestido alvirrubro.

    • Rodrigo Peixoto disse:

      Paulo,

      Perfeita sua definição. Esse é o retrato da nossa torcida. Ganhou um jogo deu 12.000 na Arena. Perdeu um jogo, foram 6000 ontem.

      Sem falar em 3000 sócios. Depois querem jogadores de peso.

  5. Maurício José de Souza disse:

    HOJE É O GRANDE TESTE DO LISCA.
    A MINHA OPINIÃO NÃO MUDA. LISCA É TÉCNICO DE SÉIRE D ou C.

    HOJE É SEU GRANDE TESTE LISCA!HOJE É SEU GRANDE TESTE LISCA!HOJE É SEU GRANDE TESTE LISCA!HOJE É SEU GRANDE TESTE LISCA!HOJE É SEU GRANDE TESTE LISCA!

    • Paulo Araújo disse:

      Sétima rodada? Oitava rodada, não sei ao certo…

      Jogo com o paysandu, em casa, com o Náutico em segundo lugar.

      E você diz (e dementemente repete, e repete…) que hoje é o grande teste do treinador. Fiquei curioso pra saber qual seria seu argumento, mas já imagino que lá vem bomba. Ninguém maior que 12 anos e não-mentecapto faria isso.

      E esse “a minha opinião não muda” diz muito sobre você e sua intenção em escrever aqui. Tenha consciência disso!

  6. Concordo em tudo que falam meus amigos, sempre fiquei atento ao político e não técnico Sr.Lisca, fala demais!!! Acho que o mesmo deveria se preocupar com treinamentos de finalizações, marcacão e toque de bola; deveria também não se achar o máximo, pois se fosse teria visto o rombo na lateral esquerda sábado passado. Pombas!!! Técnico é para ficar na beira do gramado atento ao seu time e do adversário.. As mudanças? Que coisa horrível!!! Pq manter o Josimar num time como o nautico se o rapaz nem uma bola sabe dominar? Para que temos jogadores como o Felipe Souto; o Stefano Yuri; o Pedro Carmona e no mínimo o Renato? Minha torcida querida; não estou falando nada pq perdemos, claro que ninguém mantém invencibilidades por muito tempo, mas usar de burrice e teimosia é de lascar.Amigo Sr. Lisca, queremos o seu bem, mas queremos muito mais o bem do nosso clube. Paremos de ficar gloriando o Sr. Lisca e vibremos com nossos jogadores, eles que fazem o espetáculo, desde que o nosso técnico não atrapalhe. Dica de amigo para vc Sr. Lisca, não tem pq ficar quebrando a cabeça para colocar um time em campo hoje á noite. veja como é simples. Julio Cesar, Gil Mineiro, diego, Fabiano Eller e Gaston Figueira, meio de campo: João Ananias, Guilherme, Felipe Souto e Pedro CArmona e na frente hiltinho bem aberto pela direita e Stefano Yuri ou Renato no comando de ataque. Não deixando de na conversa final falar que o time tem que ser um por todos..Onde marcamos desde o ataque, facilitando o trabalho de nossa defesa. Boa sorte Sr. Lisca, nada de cabeça dura ou burrice. Procure se tornar um ótimo técnico.

    • Paulo Araújo disse:

      Isso ai Lisca, pra que quebrar a cabeça? É facílimo escalar o time hoje, basta seguir as instruções do sr. geraldo ribeiro.

      Claro, você não deve questionar a prepotência do sr geraldo. Muito menos afirmar a ingenuidade do mesmo em achar que pode escalar um time sem ter acompanhado um treinamento sequer. Super-inteligentes não precisam acompanhar treinamentos, muito menos estar pro dentro das questões emocionais e de confiança. Pessoas como o sr. geraldo tem o dom de julgar e saber de tudo sem absolutamente nenhuma base de análise.

      Óbvio Lisca, sabemos que você tem defeitos, precisa melhorar vários aspectos, e se fosse um técnico sensacional, estaria no São Paulo, Cruzeiro, Internacional, etc. Mas entenda que o sr. geraldo não entende isso. É ingênuo demais para tanto.

      Encerrando: Pare de se achar o máximo. Próxima vez que a torcida gritar seu nome, chame-os de babacas e na coletiva ao final da partida, diga que gritem o nome do sr. geraldo. E nem pense em perguntar porque! É óvio: O sr. geraldo sabe tudo de futebol. #SQN

      • Sr.Paulo, muito obrigado pelos elogios, só poderiam partir de alguém tão educado e inteligente. Leia novamente a escavação que fiz no meu comentário e compare com o time que entrou em campo amigo. Nunca escrevi nada aqui que viesse denegrir a imagem do Sr Lisca e muito menos do nosso clube. Infelizmente na hora das substituições é que o mesmo foi infeliz. Quanto a nossa torcida fazer festa ao sr.Lisca, tudo bem,mas sem deixar de exaltar os jogadores que é quem nos faz feliz com as vitórias. Muito obrigado amigo sr Paulo, devo ser realmente um babaca ao tentar ajudar. Abraços

  7. Prezados amigos, bom dia!
    Todos que convivem com o Sr.Lisca, faça-o entender que futebol é simples e que o mesmo tem no banco solução para qualquer problema que surja quando alguém não pode atuar. Vejam como seria fácil colocar a equipe hj para jogar contra o Paisandú. Júlio Cesar, Gil mineiro, Diego, Fabiano Eller e Gaston figueira, meio de campo, João Ananias, Guilherme, Felipe souto e Pedro carmona- Ataque, hiltinho e Renato ou Stefano Yuri. Boa sorte!!! Vamos invadir a ARENA HJ, ali quem manda é o Nautico. Sr. Lisca, não seja teimoso, teimosia é burrice..Queremos que se torne um grande técnico.

Deixe uma resposta para Paulo Araújo Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


6 + 7 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>