Texto escrito por Carlos Celso, e lido pela filha no velório.

“O que é a vida!

Meus amigos,

Em outubro de 2015 fiz um check-up médico de rotina.
Os resultados deram dentro do figurino.
A partir do início de dezembro comecei a sentir alguns episódios de febre de fim de tarde e uma ligeira diminuição em minha capacidade de bom andador.
Para o dia 27 de dezembro estava agendado, em Tabira, um importante encontro dos descendentes de Cícero Mascena e Genésia Veras, meus avós maternos.
Senti-me bastante motivado para participar.
Não sei por que, optei por procurar ajuda após o encontro do dia 27.
Tentando aproveitar um pouco mais a estada em Tabira, logo no dia 25 de dezembro, ao lado de Tude, rumei para minha Tabira.
Chegamos à Pousada às 14 horas.
Um pouco cansado da viagem, descansei a tarde inteira.
No final da tarde a febrinha.
Remédio contra febre me dava algum ânimo.
Consigo encontrar alguns amigos.
Mas, descubro que já não sou o mesmo CARLOS que gostaria de ser.
Até o dia do encontro as coisas permaneceram da mesma forma.
Busquei um pouco de forças em remédios contra a febre.
Mas não foi a mesma coisa de estar saudável.
Lastimei não poder curtir os velhos primos e conhecer os primos mais jovens, como gostaria.
TuA volta para Recife estava prevista para o dia 28, eu mesmo dirigindo meu carro.
Ao acordar, percebi que não teria condições de pilotar o carro durante a viagem de volta.
Na viagem de volta, Tude, minha irmã Daida, e eu.
Resolvi contratar um Utprofissional para me trazer para Recife.
Por volta das 14 horas estava em casa.
E, por volta das 19 horas estava na emergência do Hospital Santa.
E, às 00:41 min do dia 29, internado numa unidade de terapia equiparada a UTI com restrições de visitas, para o bem dos internos da Unidade.
Diagnóstico: LEUCEMIA AGUDA.
Sei que será uma luta comparável a uma final de Copa do Mundo.
Vou procurar fazer a parte que me toca para ganhar a luta.

MinhaVisãoDeDespedida

Sou um homem feliz.
Nascido numa pequena vila do sertão pernambucano, TABIRA, descendo de duas famílias numerosas, sem grandes recursos financeiros, mas, riquíssimas em dignidade e honradez.
A cidadezinha inteira era como se fosse minha casa. Eu era o dono.
Aconteceu a sequência.
Os irmãos, os familiares, os amigos.
Os estudos.
Lembro-me que, no início dos estudos, era um aluno pouco aplicado.
Tempos do Grupo Escolar Carlota Breckenfeld.
Tempos de concluir e curso primário.
Tempos dos jogos de futebol, jogos de botão, o interesse por organizar as tabelas e estatísticas dos campeonatos de botão.
Tempos da necessidade de mudar de cidade para continuar estudando e vencer na vida.
Tempos de ver o esforço de minha mãe, com o apoio integral de meu pai, diante até de dificuldades financeiras, para me impulsionar na vida.
Tempos do Colégio de Caruaru.
Tempos de ver a doença prematura e violenta de minha mãe.
Tempo de ver morrer minha mãe.
Ela com apenas 35 anos e eu com 14.
Tempos de aprender a tirar lições positivas até daquela dor dilacerante.
Passei a usar a estratégia de lembrar-me de minha mãe pensando como ela ficaria feliz vendo meus progressos na vida.
Sabia que ela estava vendo e intercedendo por mim.
Com isto, consegui me transformar num estudante aplicado.
Ajudado, naturalmente, pela disciplina oferecida pelo Colégio de Caruaru e pelo Ginásio Cristo Rei.

MinhaVisãoDeDespedida2

Tempos de Recife.
Tempos de pensões pobres. Que conseguiram me deixar mais forte e digno.
Tempos do Colégio Nóbrega, Colégio Salesiano e curso preparatório para o vestibular de engenharia.
Curso que consegui fazer gratuitamente devido ao fato de ter me transformado num aluno aplicado.
E que se transformou em bolsa de estudos (SUDENE) pelo êxito no vestibular. Passei, bem, na Federal e na UPE (denominações atuais).
Tempos da Escola de Engenharia.
Inesquecíveis. Marcantes até hoje.
Tempos de aluno da Faculdade de Administração da UPE. (Onde conheci TUDE).
TEMPOS DE VIDA PROFISSIONAL.
Professor temporário da Escola Técnica Federal de Pernambuco.
SA White Martins.
Trorion Nordeste SA
Professor da Faculdade de Administração da UPE. Imediatamente no ano seguinte à conclusão do curso naquela Faculdade.
Xerox do Brasil SA
CHESF (até a aposentadoria).
Com breve passagem, após aposentado, e como administrador de empresas, do Governo Estadual de Pernambuco.
Onde trabalhei procurei dar o melhor de mim.
E, avalio que consegui. Modéstia à parte.
Sempre fazendo amigos.
Neste período, o casamento, os filhos maravilhosos e a nova maravilhosa família que ganhei após casar.

As pesquisas e os livros

Aposentado, recebi a recomendação de encontrar uma atividade prazerosa para ocupar meu tempo. Escolhi pesquisar as estatísticas dos jogos do Náutico. Concluído esse trabalho, eu havia me apaixonado pelas pesquisas. E passei a estudar as estatísticas de todo futebol pernambucano. Deste trabalho, resultou a publicação de mais de 20 livros sobre futebol. Por acaso, até 02 livros pessoais, menores. Um deles, com os colegas da Escola de Engenharia.
Passei 20 anos nesta etapa de pesquisas e livros. Nestes 20 anos, novamente adquiri grandes amigos, em todo Brasil, e na imprensa pernambucana, que gostam do trabalho similar ao meu.

Despedida

Sendo um homem tão feliz durante toda minha vida, só continuaria feliz sendo o Carlos exigente e mandão, sem isto, nada faria sentido. Por isso, peço aos meus familiares e amigos: quero ser lembrado com alegria. Não chorem por mim.”

9 respostas a Texto escrito por Carlos Celso, e lido pela filha no velório.

  1. fabio lima disse:

    PARABENIZO A CARLOS CELSO CORDEIRO,SEM DUVIDA
    UM GRANDE TORCEDOR DO NAUTICO,POREM ESTA NA
    HORA,MAIS QUE NA HORA,DE COLOCARMOS AQUI OU
    TRAS REPORTAGENS,TEXTOS, ENFIM,OUTRAS COISA
    QUE GUARDEMOS NO CORAÇAO ESSA GRANDE FIGURA,
    POREM A VIDA SEGUE E DE NADA ADIANTA CHORAR.

  2. Não o conheci pessoalmente.
    Como cristão rogo a Deus para que a sua alma descanse em paz.

  3. elcio h.de barros disse:

    um bonito exemplo de vida.

  4. Francisco de Assis Coelho disse:

    O segundo jogo do Náutico contra o Santa
    será na Arena. Espero que a diretoria faça alguma promoção e providencie melhor locomoção aos torcedores alvirrubros, tais
    como: ônibus partindo e vindo da sede; partindo também do Derby; do Rio Mar e de
    outras frentes para que o torcedor compareça em peso à longiqua Arena. BASTA da presença ridícula de 3.000 torcedores.
    Isto não é público para um time da envergadura do Náutico. O timed precisa do
    nosso incentivo e nós torcedores precisamos da ajuda e movimentação da Diretoria. Espero também que seja tomada uma decisão quanto aos jogos das 19:30 e das 21.45h. NÃO HÁ CONDIÇÃO DE CHEGAR NESTE PRIMEIRO HORÁRIO E NEM ASSISTIR AO
    SEGUNDO PARA RETORNAR NO OUTRO DIA DE MADRUGADA. Se houver jogos neste horário é prejuízo certo com público de 2000/3000.
    VAMOS AGIR E CONSEGUIR TRAZER O TORCEDOR EM GRANDE NÚMERO DE VOLTA AO ESTÁDIO!!!

  5. Ricardo disse:

    Os bons vão muito cedo. Os canalhas se perpetuam dentro desse lamentável clube de oportunistas.
    Fez também livros para o Santa Cruz e Sport.
    Agora eu quero ver algum escritor desses dos rivais fazer um negócio desse pelo Náutico.
    Nem aqui nem na China.
    Bom homem, bom caráter, perda irrecuperável.
    Carlos Celso Cordeiro.

  6. Ricardo disse:

    Conheci na época da ampliação do estádio dos Aflitos. Junto a grupos de apoio essa obra conversei muito com Carlos Celso sobre o Náutico.
    Conheci seu trabalho de editar livros com a história do Náutico no futebol profissional desde seu inicio.
    Comprei dois dos seus inúmeros livros.
    Eu diria que perdemos a enciclopédia da história do futebol do Clube Náutico Capibaribe.

  7. Luiz Antônio disse:

    Sou timbu, assim como você. O seu jeito de ser não nega suas origens. Conhecê-lo nos campos de luta foi um grande prazer. Desfrutar das suas conversas uma alegria que guardarei para sempre. O homem Carlos, sempre simpático, conciliador, consciente, educado, mestre, se foi, mas fica para sempre um legado de personalidade a ser imitada. Até breve, meu amigo. Que o destino nos reserve um novo encontro.

  8. Bruno Marinho disse:

    Grande caráter.

  9. Théo Sabiá disse:

    Exemplo de honradez, caráter e profissionalismo. Que descanse em paz e evolua bem no ouro plano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


6 − = 4

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>