SÉRIE B

Náutico vê Londrina como visitante indigesto, mas alerta: “Não morremos”
Técnico Roberto Fernandes comenta que adversário deste sábado costuma pregar peças em jogos fora de casa

Logo após a derrota por 3 a 1, para o Paysandu, na última terça-feira, pela Série B, o técnico Roberto Fernandes admitiu que livrar o Náutico do rebaixamento era uma missão quase impossível. Porém, mesmo com a situação delicada, o treinador cobrou empenho ao grupo. E lembrou que o Timbu está vivo, com um aviso: “Ninguém me enterra vivo”. Só a vitória dá sobrevida por mais uma rodada e, neste sábado, às 17h30 (de Brasília), contra o Londrina, na Arena de Pernambuco, terá o primeiro desafio.

- Há algumas semanas, falei e uma coletiva que ninguém me enterrava vivo. O Náutico não morreu. O Londrina vai ter de jogar, vencer e os outros resultados acontecerem para a gente ser rebaixado matematicamente. Enquanto isso não acontecer, é nossa obrigação jogar para vencer. E é assim até o final, temos de vencer os jogos restantes. O Náutico tem história, apesar de ter um passado recente bastante sofrido.

Na visão de Roberto Fernandes, o Londrina só não supera o Internacional como o visitante mais indigesto que o Náutico enfrentou sob o seu comando. O Inter tem a melhor campanha fora de casa, e o Londrina, a quarta.

- Quem joga no Náutico tem de saber isso aí, dessa cobrança, e temos passado isso para os atletas. Não tenha dúvida que coloco o Londrina como o adversário mais difícil como visitante que vamos enfrentar depois do Internacional. A campanha deles como visitante é boa e eles têm um contra-ataque muito rápido. Um treinador que está lá há cinco anos e com filosofia implantada. São pontos que temos de superar com raça.

O jogo
Série B do Campeonato Brasileiro (35ª rodada)
Onde: Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata
Quando: sábado, 11/11/2017, às 17h30 (de Brasília)
Time provável do Náutico: Jefferson; David, Breno, Rafael Ribeiro e Henrique Ávila; Amaral, Jobson e Cal Rodrigues; Rafinha, Dico e William.
Quem está fora: Rafael Oliveira, Léo, Gilmar, Vinícius e Sueliton (lesionados)
Arbitragem: Jean Pierre Goncalves Lima apita a partida, sendo auxiliado por Lucio Beiersdorf Flor e Leirson Peng Martins. O trio é do Rio Grande do Sul.
Transmissão: Premiere Futebol Clube.

Matéria: https://globoesporte.globo.com/pe/futebol/times/nautico/noticia/nautico-ve-londrina-como-visitante-indigesto-mas-alerta-nao-morremos.ghtml
Por: Daniel Gomes/Globo Esporte
Foto: Léo Lemos/Comunicação Náutico

9 respostas a SÉRIE B

  1. Como ta dificil aparecer um jogador de qualidade nesse time, que safra ruim da porra esse ano.
    Lembrando se nao for para mata mata na serie c(proximo ano) ou cai para serie d ou vai passar um bom tempo sem jogar.
    Enquanto os dirigentes continuarem com essa desunião o clube se ferra cada vez mais.

  2. Ayrton disse:

    VÃO LEVAR LAPADA ATÉ O ÚLTIMO JOGO!!!!
    PQP!!!! PQP!!!!

  3. CADO I disse:

    A sequência de erros que motivaram o rebaixamento do Náutico:
    1) A contratação de dado Cavalcante. Concordo com o comentário de Armando quando ele considera que DADO foi um dos principais responsáveis pelo desastre. Ele indicou (ou foi conivente com) a contratação de jogadores de baixíssimo nível (Nirley, Páscoa, Alison, e outros bostas mais) montando um dos piores times de todos os tempos.
    2) As “trocas” desastrosas de Júlio César (em plena forma e identificado com o clube) pelo decadente e desestimulado Tiago Cardoso (Santa Cruz) e de Rafael Pereira por Everton Páscoa (Ceará). A renovação do péssimo e descompromissado Rodrigo Souza.
    3) A irresponsabilidade da primeira diretoria pela montagem de um time caro (apesar de péssimo). Como consequência, fez campanhas pífias e não conseguiu pagar os salários, tendo que reformular todo o plantel no início da série B.
    4) As dispensas dos bons zagueiros Tiago Alves e Adalberto, seguidas das contratações do esforçado Breno Calixto e do peladeiro Aislam. A péssima zaga do Náutico foi a principal causa, em campo, da maioria das derrotas do Náutico. Considero que uma zaga segura, provavelmente, teria nos livrado do rebaixamento.
    5) A dispensa de Milton Cruz e contratação de Waldemar Lemos (sem comentários).
    6) A arriscada opção de entrar na fase mais decisiva do campeonato com um goleiro inexperiente e inseguro (apesar de promissor). A consequência disso foi a perda de pontos preciosos por falhas grosseiras de nosso projeto de goleiro.
    7) A insistência em colocar como “homem de referência” (como se diz hoje) pseudos (ou ex) artilheiros velhos e/ou sem recursos técnicos – do tipo que passa duas horas para dominar uma bola e só chuta de canela. Começamos com Alison, passamos por Gilmar e terminamos com Williams. Todos com péssimo aproveitamento, mantidos no time devido à falsa fama de artilheiros e a miopia dos técnicos. Enquanto isso, os atacantes mais criativos, velozes e habilidosos ficavam nas “beiradas” (para usar a palavra atual) limitando-se a cruzar bolas para os “postes de referência”. Assim jogaram Erick, Gerônimo e Leílson (artilheiro do campeonato cearense jogando de centroavante) e o doido Iago, nas poucas oportunidades que tiveram. No segundo tempo do último jogo, Gerônimo entrou na sua verdadeira posição e mostrou que a sorte do Náutico poderia ter sido outra se ele tivesse sido o nosso centroavante durante todo o campeonato.

  4. Salve pesqueira campeao.
    Tem no minimo 5 jogadores melhores que varias perronhas do nautico comecando pelo goleiro.
    Parabens!

  5. Ayrton disse:

    MELHOR A FAZER É ENTERRAR ESSE CLUBE DECADENTE SEM MORAL. CLUBE PERILIMA CAPIBARIBE

  6. Nildo Gomes disse:

    Quando contratarem pernas de pau que errem, errem, errem insistentemente até foder com a paciência de todos, mantenham no grupo que mais um rebaixamento certo acontecerá merecidamente. Além dessa diretoria amadora e dos empresários mal intencionados que empurraram esse bando de perebas no clube Roberto Fernandes foi o técnico mais jumento que passou pelo Náutico este ano. É impossível ele não enxergar que alguns peladeiros não tinham a mínima condição de sequer vestirem a camisa alvirrubra. Rafinha, Ayslan, Breno, Ávila, Diego Miranda, Amaral entre tantas outras perronhas incluindo os cagões e irresposáveis dessa base safada ( David, Joazi, Rafael, Manoel, Geronimo… são piores que os anteriores ( João Chorão Ananias e cia ). É hora de contratar com responsabilidade inclusive um novo técnico. Existem inúmeros jogadores de verdade bons e baratos por ai. É só trabalhar e procurar. Raça, brio, competência pra jogar futebol e vergonha na cara nenhum do elenco atual possui,

  7. Adelmo Loureiro disse:

    É meus amigos…a única esperança é voltarmos para os Aflitos. Tentar recomeçar, pois mesmo em momentos de crise, a pressão da torcida no estádio e na sede, ainda intimidavam os cartolas…hoje nem isso temos mais, os caras fazem o que bem querem com o CLUBE e fica por isso mesmo. Cambada de ladrões, sugaram até o que não tínhamos, agora estamos colhendo o fruto de gestões fraudulentas. Parabéns seus canalhas, mais um anos somos motivos de chacotas. Batemos dois anos seguidos na trave (5º lugar) e no outro somos rebaixados. E pra piorar, ainda ver o time que não vencemos no ano passado (Oeste) com boas chances de subir. Isso mostra a competência deles com um time bem mais barato que o nosso (acredito) não tenho certeza desta informação, mas independente do valor do time, ao menos é uma equipe sem craques ou jogadores super rodados. É uma lição para aprendermos, futebol é dinheiro sim, porém saber contratar é fundamental. Só resta dizer: Feliz 2018…e pensar em Raul Seixas…”Tente outra vez….”, pois é isso que iremos fazer em 2018. Espero ao menos não cair para a série D. Abraço para todos os irmãos sofredores Alvirrubros.

  8. Que goleirinho fraco da porra, esse time que está jogando so deve ficar amaral e cal rodigues (reserva) o restante pode dispensar hoje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


+ 2 = 10

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>