O gol do título

JOGOS HISTÓRICOS

Sport 1×2 Náutico

Campeonato PE – 2001

“O gol do título”!

Ano do centenário alvirrubro. Ano do sonhado hexa do Sport.

Jogo decisivo nas pretensões do Náutico. Empate ou derrota estava fora da disputa do primeiro turno. O palco, a ilha do Retiro, onde as estatísticas eram desfavoráveis ao Náutico.

Estréia de Muricy Ramalho no comando Timbu. Mandou o time pra frente. Era ganhar ou ganhar.

Logo no inicio uma blitz alvirrubra jamais vista. Tiago Tubarão abre o placar, mas não demora muito para o Sport empatar.

No fim do primeiro tempo vem a expulsão de Marcelo Fernandes. O Náutico desce para o intervalo com um homem a menos, e temporariamente eliminado do primeiro turno.

O gol rubro negro acendeu a sua torcida, que passou todo o intervalo em festa, e zoando com os alvirrubros atrás do gol do placar.

No segundo tempo o vento muda de direção, e começa a soprar pro nosso lado.

10 minutos do segundo tempo. Falta da intermediária para o Náutico bater. Adilson bigode ajeita e pelota, dá uns vinte passos pra trás, e arrisca um chute.

Todos os Deuses do futebol reunidos em um só momento fizeram com que o sobrenatural desviasse a trajetória da bola até o gol. Uma parábola. Um gol antológico deixava o Náutico na frente de novo.

Quatro personagens tiveram papel preponderante, daquele momento até o fim do jogo.

Muricy arregaçou as mangas de sua camisa social e começou a gritar na beira do gramado.

Gilberto pegou tudo. Lima espanou todas as bolas pro mato. E Sangalleti na frente da zaga foi o gigante no primeiro combate.

No final a festa foi nossa! Aquela vitória nos iluminou até o fim do campeonato. Fomos campeões depois de onze longos anos de espera, no ano do nosso centenário, e impedimos o “hexa” do Sport.

Quem viu jamais vai esquecer daquela noite.

Um jogo histórico!

Por Carlos Henrique

2 respostas a O gol do título

  1. Adson de Oliveira Nobre disse:

    Foi uma noite inesquecível, estava atrás da barra, e vi aquele gol de Adílson, que nunca mais na vida dele, ele acertou outro, e na prelinar o Naútico perdeu para o Sport, mais naqueleLula preliminar, quem jogou muito, Jorge Henrique, que está de volta, se Deus quiser paraa nos dar muitas alegrias …

  2. Luiz Antonio disse:

    Não assisti esse jogo para fazer prova final na faculdade. Fazendo prova com radinho de pilha e fone de ouvido escondidos. Tensão em dobro, mais a alegria maior foi do jogo. Assisti esse gol do Adilson dezenas de vezes, e explicar esse chute e a trajetória da bola, não tem como.
    O Adilson nunca foi unanimidade na torcida, mas discreto bastou esse lance na sua passagem pelo Náutico para ficar na história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


2 + = 7

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>