BASE

Com boa parte do elenco formado em casa, Náutico colhe frutos da aposta na base
Titulares Hereda, Jefferson, Thiago e Diego Silva, e outros seis do grupo são pratas da casa: Odilávio, Rafael Ribeiro, Wagninho, Rhaldney, Jefferson Nem e Lucas Paraíba

No futebol, não é raro que as soluções estejam mais perto do que se imagina. Muitas vezes, os jogadores da base só precisam de uma oportunidade para mostrar que estão prontos para ajudar. O caso do Náutico, que subiu para a Série B, neste domingo, após vencer o Paysandu nos pênaltis, é exemplar: quatro titulares foram formados no clube, além de outros seis atletas, que compõem o grupo principal.

Na partida contra o Papão da Curuzu, os titulares foram Jefferson, Diego Silva, Hereda e Thiago. Apesar de pratas da casa, os quatro têm trajetórias diferentes.

Diego Silva

O mais velho do grupo é Diego Silva. Zagueiro, de 26 anos, a história dele é curiosa. Começou a subir para os profissionais em 2013. Destacou-se mesmo num momento ruim do clube. Em 2016, foi negociado para o time sub-23 do Santos. De lá, rodou em Portugal, no Nacional da Ilha da Madeira.

Em 2019, recebeu uma ligação do Náutico e voltou ao clube que o formou. No começo do ano, ouviu críticas do torcedor e passou a maior parte da temporada no banco. No final dela, firmou-se como titular, ao lado de Camutanga, e virou peça importante no acesso alvirrubro.

- Para a gente, que é de casa, o sabor é um pouco diferente. A gente acaba tendo uma identificação maior com o clube.

Jefferson

Jefferson também precisou ir e voltar para o Náutico. Mas a experiência dele longe do Recife foi mais curta – embora intensa. Natural de Vitória de Santo Antão, o goleiro, de 26 anos – meses mais novo que Diego Silva -, surgiu como titular, em 2017.

No ano seguinte, era o momento de se firmar. Mas ele teve uma lesão, no início da temporada. Bruno entrou no lugar, foi bem e não deu espaço para Jefferson retornar. Para não ficar encostado, o goleiro pediu para ser emprestado.

Foi para o Atlético-GO, na Série B, depois para o Joinville e retornou ao Náutico, durante a Série C. Mais velho e maduro, foi a vez dele aproveitar uma contusão de Bruno para recuperar o espaço. O colega foi negociado com o futebol português – e Jefferson virou o dono da posição.

Além de goleiro, foi líder do time, um dos cinco capitães escolhidos por Dal Pozzo.

No final, foi, ainda, decisivo: pegou o único pênalti perdido na disputa entre Náutico e Paysandu, garantindo o acesso ao Timbu.

Hereda

O lateral-direito titular do Náutico, Hereda, tem só 20 anos. Mas precisou superar problemas para chegar ao patamar atual.

Em 2018, ele – ainda na base – envolveu-se em uma polêmica. Atleta do clube, tinha direito a dois ingressos para a final do Pernambucano daquele ano – contra o Central. Foi flagrado tentando vendê-los, pela internet, por valores bem mais altos do que os da bilheteria. Foi criticado pela torcida.

Chegou a haver certo movimento em favor de sua dispensa do clube.

A diretoria, no entanto, acreditou nele. O jogador foi chamado para treinar com o time profissional pouco depois disso. Mas, no segundo treino, em um lance sozinho, rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo.

Só pôde voltar a jogar neste ano, quando consolidou-se como o titular da equipe, desde os primeiros meses da temporada. Disputou 36 jogos.

Thiago

O mais jovem entre os titulares é aquele de maior destaque no time. O ponta-direita Thiago teve trajetória sempre crescente no Timbu: estreou fazendo o gol na volta aos Aflitos, apareceu como alternativa para o decorrer do jogo no início, mas logo se firmou como titular do time, relegando ao banco de reservas ninguém menos que Jorge Henrique.

Tudo isso aos 18 anos. A velocidade e a ousadia com a perna esquerda fizeram dele o artilheiro do Timbu na Série C e o vice-artilheiro do time no ano.

Além disso, Thiago é visto como a grande promessa do clube. O presidente timbu, Edno Melo, chegou a afirmar que ele deve ser a maior venda da história do Náutico.

Matéria: https://globoesporte.globo.com/pe/futebol/times/nautico/noticia/com-boa-parte-do-elenco-formado-em-casa-nautico-colhe-frutos-da-aposta-na-base.ghtml
Por: Rômulo Alcoforado/Globo Esporte Recife
Foto: Léo Lemos/Comunicação Náutico

2 respostas a BASE

  1. Rhaldney já merece uma chance de titular no lugar de Josa ou Jimenez, põe o garoto pra jogar.

  2. alexandre disse:

    amigos esta circulando na internet , um pênalti marcado para o payssandu contra o são josé RS , o jogador do são josé chutou a bola bateu no braço do companheiro o arbitro deu pênalti , ai o payssandu não pediu anulação da partida , o presidente esta jogando para o seu torcedor, não vai dar em nada,hoje o clube tem mais de 16.000 sócios vamos ajudar , agora na b o clube precisa melhora o grupo de jogadores , que dizer vai aumenta muito as despesas, o clube tem varias modalidades de sócios que vai de 12.90 reais , 30,00 ,e mais vamos ajudar , NÁUTICO SEMPRE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


2 + 7 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>