Jogo Inesquecível

Jogo inesquecível foi em 1985

Publicado em por plinio

Jogo inesquecível, o ano foi 1985 o Náutico vinha fazendo um péssimo campeonato, na decisão do 2 turno na ilha vencemos o rabujo, e de virada Luiz Carlos fez 1×0, porem tínhamos Baiano que com 2 golaços dele vencemos o jogo e o turno e depois seriamos Bi campeões. Que maravilha…

Por: Antonio Laurentino

Náutico x Sport nos Aflitos 2006

Publicado em por plinio

Pra mim o jogo mais emocionante foi contra o Sport nos Aflitos no ano de 2006, quando o Náutico no primeiro tempo não jogava bem e so dava o Sport no jogo e logo eles abriram o placar, e a torcida mais feia do mundo começaram akela algazarra no nosso estadio… Nisso o primeiro tempo terminou… e quando o segundo tempo estava pra começar o time do Náutico se reunio no meio do campo e ali em diante daquela cena vi que o meu time tinha voltado para o segundo tempo pra mostrar sua verdadeira força… o jogo começou e so dava Náutico, a torcida não parava de gritar (vamos virar náuticoo) e o um jogador do Sport foi expulso e com isso o Náutico aproveitou e foi pra cima e no estante de ataque o zagueiro do Sport foi tirar um chute nosso, e fez um lindo gol contra… pow foi tão emocinante ver os aflitos lotado pulando de alegria e ver aquela raça horrivel do Sport calada… e logo depois com um Gol de penalty se não falho a memoria o Náutico vira o jogo e ganha do Sport de 2 x 1…a torcida gritando e batendo no peito de emoção…foi lindo tudo aquilo…pra mim foi muito emocinante…

Por: Italo Menezes

Náutico e Corinthians no Pacaembú

Publicado em por plinio

Um jogo que marcou minha vida foi Náutico e Corinthians, no Pacaimbú, pela Copa do Brasil 2007, oitavas-de-final, onde o glorioso alvirrubro ganhou por 2×0 em pleno estádio do Corinthians com mais de 30 mil pessoas, irritando a imprensa do sudeste brasileiro como sempre xenofobica em relação ao futebol norte-nordeste, não acreditava, fiz até promessa… Mas vi pela primeira vez o meu Náutico ganhando do Corinthians.

Por: John Lennon J. da Silva

Náutico e Ituano em 2006

Publicado em por plinio

O jogo inesquecível foi Náutico e Ituano em 2006 quando o Náutico subiu para série A.

Eu cheguei no jogo os aflitos já estava lotado. Estava eu, meu irmão, meu pai, meu tio e meu primo. Ficamos atrás da barra que o náutico fez os gols. O primeiro tempo acabou em 0×0, aí no intervalo começou a chover muito e o náutico fez o primeiro gol e logo depois o outro e para completar o sportcú ainda perdeu e o Náutico se classificou para série A de 2007. Foi muito bom. Náutico ate morrer!

Sou NÁUTICO, mesmo que a bola não entre, mesmo que os Aflitos se cale, mesmo que o manto sagrado desbote, mesmo que a vitória esteja longe. Sou Náutico. Seja longa a jornada, seja dura a caminhada, Náutico no peito e na alma, nos gritos e nas palmas. Sou Náutico até morrer. Náutico: um orgulho, uma paixão. (?).

Por: Rafael Câmara

Decisão do turno de 1984

Publicado em por plinio

Foi a decisão do turno de 1984 contra o Sport, um jogo na ilha do retiro, aonde o Náutico saiu na frente com Heider, depois em seguida o Sport empatando, foi pra prorrogação aonde o Sport saiu na frente, saí com meu rádio para rua, já triste, nisso chega um torcedor do Sport e grita o “Náutico empatou” (não acreditei), liguei o radio e ouvir Roberto Queiroz gritando gol de Baiano, voltei para casa e fui ouvir as decisões de pénaltis. aonde ouvir Heider marcar o gol do titulo do turno. Que saudades dos anos 80, melhor fase do Náutico na minha época (1984 e 1985).

Por: Jose Orlando da Costa

Jogo contra o Santos no Pacaembú

Publicado em por plinio

A maior vitória do Náutico de todos os tempos sem dúvidas foi o jogo com o Santos no Pacaembú SP se não me engano em 1966 o placar 5×3. Naquela noite fui dormir mais cedo certo que o time não ganharia o jogo uma vez que jogar contra o Pelé/Coutinho/Pepe e Cia. não era fácil.

Já estava dormindo quando fui acordado por gritos na rua era o meu primo me chamando, sem saber o que estava acontecendo acordei um pouco assustado e ele na maior alegria dizia que o Náutico tinha ganho o jogo com 4 goals de Bita e outro de Miruca. Nunca mais vou me esquecer daquela noite.

Por: Clovis Barros

Jogo contra o Palmeiras

Publicado em por plinio

Um jogo que não consigo esquecer nunca foi em 83 ou 84, quando o Náutico jogou uma partida contra o Palmeira, pelo o Campeonato Brasileiro, no arrudão. O nautico tinha um dos melhores ataque do Brasil, Mirandinha, ex-Palmeira, Nunes, ex-Flamengo, era simplesmente, Nunes, o melhor atacante do Brasil, goleador, matador que qualquer time gostaria de tê-lo, tinhamos um goleiro também muito respeitado e a bola rolava em qualquer campo do Brasil e todo mundo temia o nosso ataque, apenas com dois veteranos bons de bola e de nome, qualquer jogador que entrava no Náutico era craque porque era fácil jogar, era só rolar a bola pra um dos dois e partir para o abraço. Será que os nossos tempo de gloria já se foi e vamos viver só do passado, será que não temos nenhum dirigente que pense nesta possibilidade, todo grande time tem um matador, cade o nosso, foi-se o Acosta, Roberto Fernandes (nosso técnico) e agora? o que vai ser de nós? Se conformar com o passado? Sou pernambucano moro em Minas Gerais ha 26 anos e sou torcedor do Náutico com muito orgulho.

Por: João Ferreira Neto

Náutico 2 a 1 em cima do São Paulo

Publicado em por plinio

Um jogo q não me esqueço até hoje nos Aflitos foi em 1991. O Náutico contra o Timaço
do São Paulo, que vencemos por 2 x 1, aquela bela cobrança de falta de Levi, Zetti fez o golpe de vista e encontrou a bola em suas redes. Fui com o meu pai a esse jogo que pra mim é  inesquecível!

Por: Bruno Marinho de Souza

Final do campeonato de 2004

Publicado em por plinio

Na final do campeonato de 2004, fui ao Arruda com meu irmão André, totalmente assustado e acuado. Mas escutava aquela coisa de que o Timbuzinho sairia com a mão na taça.

Parecia que tudo estava já dito por Nosso Bom Deus, Batata a um minuto de jogo e Jorge Henrique aos 3. Lembro que eu, meu irmão e uns amigos nossos (que encontramos na arquibancada) caímos uns quatro degraus com o segundo gol. Minhas canelas ficaram todas arranhadas e ainda senti meu coração querendo parar…

Por: Raphael Augusto

Titulo de 2004

Publicado em por plinio

Morava em Campina Grande em 2004, acontecia a Micarande, e no sábado estava no bloco Spazzio, logo estava embreagado dizendo a todos meus colegas “Amanhã vou ser campeão”. Me chamaram de doido! No dia seguinte coloquei minha camisa no ombro e grudei o rádio no ouvido, pois lá estavam assistindo Vasco e Flamengo! Começa o jogo daquela forma: 2 a zero, e falei para meu colega que estava comigo, e torce pelo sport, vou levar a camisa para o bloco, se  formos campeões! Não deu outra coloquei o abadá , a camisa enrolada no pescoço e o melhor de tudo foi escutar Bell Marques do Chiclete dando parabéns ao Náutico. Eis o meu relato dos 3 a zero contra o Santa!

Por: Marcelo Victor

Página 5 de 71234567