Um resultado que já estava no bolso

Foi a última partida do campeonato pernambucano de 1975. O Sport estava há 12 anos na fila e já se brincava na cidade de que o novo apelido dele seria LEÃO XIII. Tinha apenas 11 anos naquela oportunidade e meus inocentes olhos de torcedor mirim presenciaram um dos maiores escândalos da história do futebol pernambucano. Meu coraçãozinho de criança quase explode de tanto ódio. Ódio primeiramente daquele juiz, ao meu ver sem nenhum escrúpulo, que tomou o jogo do meu time; ódio do clube que se beneficiou daquele resultado imoral, e que daquele dia em diante passou a ser visto por mim não como um adversário do Náutico, mas como “o inimigo” do Náutico. Com toda fúria do mundo, perguntei às pessoas que estavam ao meu redor “por que tanto roubo contra o Náutico”. Aí ouvi coisas como: “o governador mandou”, ou “o árbitro queria que o governador o promovesse para coronel, daí beneficiou o clube dele”. O que eu sei é que até hoje, 30 anos depois, não esqueço aquela partida e carrego um profundo ódio daquele árbitro e daquele adversário. Quem sabe se tanto rancor não se acabe neste ano de 2005. Quem sabe se os Deuses do Futebol não estarão preparando um tardio, mas prazeroso troco, tirando o campeonato do centenário deles e enviando-o para os Aflitos??

Por: Carlos Pessoa

Os comentários estão encerrados.