CASA CHEIA

O Náutico tem que colocar em campo mais do que técnica para vencer o Jundiaí/SP, esta tarde. Precisa jogar com garra e o coração. A penúltima partida oficial dos alvirrubros, este ano, está valendo um título: de sobrevivência na Série B do Campeonato Brasileiro. Se empatar ou perder, o Alvirrubro, em 22° lugar e com 28 pontos, praticamente coloca um dos pés no inferno da Terceirona.

A missão nesta fase final é destruir qualquer rastro desta possibilidade. Assim, os comandados de Givanildo Oliveira prometem dar o seu máximo. Ou pelo menos, o que não deram de si até então. Os jogadores comentavam entre si que sentiam que as coisas dariam certo nesta etapa final. Eles estão encarando a partida como a semifinal decisiva para que o Náutico se mantenha onde já está.

“Vamos considerar que o jogo contra o Jundiaí seja uma semifinal e a decisão é contra o Bragantino. Vale mais vontade que esquema”, disse Dauri, que, apesar de não ser sua preferência, entrará em campo hoje com uma nova função: a de meia marcador, mas que avança com os atacantes.

Este clima de final é o que o técnico Givanildo Oliveira vem procurando passar para o seu elenco. “Tivemos nossos erros e chegamos nesta situação. Mas estamos no penúltimo passo. Vamos para uma semifinal e uma final e o torcedor vai ter uma participação muito importante para sairmos desta posição”, sublinhou o técnico.

Para o jogo, ele terá – mais uma vez – algumas ausências, como o lateral Paulinho (contundido) e o zagueiro Max Sandro (suspenso pelo terceiro cartão amarelo). No entanto, ele terá a volta de Júnior Amorim, Mabília, além de ter o defensor Sílvio, que participou dos últimos coletivos nos Aflitos, e está concentrado com o grupo.

Se no gramado, a força promete ser total, nas arquibancadas a torcida não deve deixar barato. A expectativa é que o Jundiaí sinta o calor do caldeirão alvirrubro e com os preços dos bilhetes a R$ 2,00 e R$ 1,00, só é preciso cuidar para que os ânimos não se alterem além da alegria e estraguem a festa. “É hora de fazer um mutirão em benefício do Náutico”, concluiu Givanildo.

Enquanto os jogadores treinavam, ontem à tarde, fogos de artifícios já eram anunciados no céu. Apesar de alguns atletas terem sido importunados por torcedores mais exaltados na arquibancada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


8 − 6 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>