A hora da virada

Por: José Gomes Neto

O Náutico já não está mais na zona famigerada do Brasileirão 2008. A importante vitória sobre o encardido lanterna Ipatinga proporcionou ao time alvirrubro não apenas a reabilitação na competição, mas o início do que se espera vir a ser uma reviravolta definitiva na situação periclitante na qual estava a equipe, há quatro rodadas. Mesmo assim, ainda existe um longo e tortuoso caminho a ser percorrido até a garantia matemática de permanência na elite do futebol nacional.

Somente a partir de então é que o técnico Roberto Fernandes poderá fazer valer o limite mínimo, em termos de objetivo para esta edição, que é a conquista de uma das vagas para a Copa Sul-americana, em 2009. Até lá, vamos voltar a pisar no chão, ou melhor, nos gramados do País afora e pensar em vencer para continuar a jornada de recuperação total do time.

A começar pelo próximo confronto. O combalido, e agora também chorão, Vasco da Gama, em São Januário. Se a partida em si já não seria fácil, muito mais agora que o time cruzmaltino vislumbra a real possibilidade de ingressar na zona de degola já nesta 25ª rodada. Se vier a perder para o Náutico, as portas do rebaixamento estarão abertas para o clube carioca.

E é justamente esta a possibilidade que o Náutico tem de aproveitar. O desespero vascaíno, melhor expresso no chororó do atacante Edmundo, logo após a derrota por 3 a 1 para o Cruzeiro, no seu reduto, demonstra o quanto é delicada a situação vivida pelo Vasco. Fragilizado, sem o todo-poderoso Eurico Miranda nos bastidores, a nove era do clube pode sofrer um abalo ainda maior, no caso de mais um revés dentro do Rio de Janeiro.

O que mais me chamou atenção foi o argumento utilizado pelo jogador vascaíno, quando ele, categoricamente, apelou para a Comissão Nacional de Arbitragem “olhar com mais compaixão para o time da cruz de malta”. É bom a diretoria de futebol do Náutico não dormir no ponto. O extra-campo decide sim quem fica quem desce no campeonato brasileiro. Se eles podem “escolher” a quem ajudar, um integrante do Clube dos 13 tem a preferência. Não sou inocente e espero que os dirigentes timbus também não o sejam.

Em relação ao que ocorre no aspecto técnico, acredito que esta será uma semana bastante especial para o técnico Roberto Fernandes. Existe uma possibilidade de todos – as exceções seriam o volante Hamilton e o zagueiro Negretti por contusões -, estarem à disposição do treinador para a “decisão” contra o Vasco.

Poder optar pelos atletas para fazer o melhor é uma vantagem que deve ser bem aproveitada. Depois de encarar o Vasco, o Náutico terá mais um difícil confronto diante do Atlético Mineiro. É um adversário por vez e acho que o Timbu reúna condições de jogar de igual para igual com o time carioca. Chagou a hora de rever os pontos desperdiçados diante do Fluminense, em pleno Aflitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


+ 2 = 5

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>