Ainda não desta vez

Por: José Gomes Neto

Ainda não foi dessa vez que o Náutico reencontrou o caminho da vitória dentro do Caldeirão Alvirrubro. Apesar de ter apresentado um futebol aplicado e mais consistente do que o do Fluminense, o time timbu não conseguiu emplacar nas finalizações. Os jogadores alvirrubros não tiveram a competência, nem a paciência, para concluir as poucas (porém boas) chances criadas.

A postura da equipe foi envolvente e, acima de tudo, consciente das suas qualidades e limitações. Mesmo assim, não justifica Felipe nem Marcelo Silva desperdiçarem oportunidades de ouro como a que eles tiveram. Futebol é coletivo e não quero inventar aqui que a culpa é somente deles.

Por outro lado, fiquei satisfeito com o rendimento do sistema defensivo. Firmes e precisos nas antecipações, os volantes, zagueiros e o goleiro Eduardo não comprometeram. Até passaram mais confiança para a torcida quanto às suas capacitações técnicas.

Mas nem tudo correu bem e não gostei da postura ofensiva. Parecia que o objetivo era levar a bola até a área adversária e depois devolvê-la aos tricolores cariocas. Confesso que temi, mais uma vez, pelo pior. Isso porque a probabilidade de ficar apenas se defendendo leva, naturalmente, a uma condição de sofrer um revés a qualquer momento.

Mas é preciso o torcedor observar a competição como um todo. A 16ª rodada apresentou um detalhe bastante curioso: apenas Goiás e Botafogo venceram os seus jogos como mandantes. O time goiano venceu o Paraná por 2 a 0 enquanto o líder alvinegro congelou o América na posição de equipe mais iluminada do Brasileirão 2007.

No mais, Atlético Mineiro perdeu para o Santos; Atlético Paranaense empatou com o Corinthians (que por sinal completou dez jogos sem vencer); o Inter foi derrotado pelo Vasco; o arqui-rival rubro-negro conseguiu um feito contra o Palmeiras e, por fim, o Timba ficou no empate sem gols contra o Tricolor das Laranjeiras.

O aspecto negativo foi completar dez rodadas na zona de rebaixamento. Lamentável…

Porém, se os três pontos não chegaram desta vez, o fato novo foi que o Náutico não perdeu e nem levou gol nos Aflitos. Agora é partir para cima do lanterna América e tratar de manter a regularidade fora do Recife. Vencer o adversário direto tornou-se mais do que uma obrigação… Uma necessidade, eu diria.

Avante, Náutico!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


+ 4 = 11

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>