Independente do resultado, Náutico mostra personalidade

Por: José Gomes Neto

Dos quatro gols anulados pela arbitragem paranaense, eu afirmo que o gol de Cris, de cabeça, marcado aos 3 minutos do segundo tempo estava regular. A bola fora cruzada por Marcel para a direita, e não para a esquerda, onde se encontrava o meia Acosta. Se o assistente não sabe o que é impedimento passivo, aí a culpa não é do técnico Paulo César Gusmão. Paciência…

Outro aspecto que quero registrar é a duvidosa interpretação que o senhor Heber Roberto Lopes fez no lance em que o lateralzinho direito do Figueirense meteu o pé no rosto de Felipe e provocou um corte contundente. Se aquela jogada não era para expulsão, então o critério dele é diferente do que orienta a International Board (Fifa).

O Náutico FEZ o seu papel e sufocou a equipe do Figueirense, dentro do Orlando Scarpelli. Se não venceu, ao menos me convenceu. Porém, como no futebol o que importa é o resultado, então o Timbu fracassou na missão Copa do Brasil 2007. Faltou poder de fogo ao melhor ataque dessa competição nacional – que tem 19 gols em oito partidas – mas agora é voltar todas as energias para o Brasileirão 2007.

Depois de longos 12 anos, o Clube Náutico Capibaribe fará a sua reestréia na Primeira Divisão do futebol brasileiro. O adversário será o Atlético Mineiro, no Mineirão. Conforme a lógica utilizada contra o Náutico, na Copa do Brasil, o que irá valer é ganhar o jogo, e não atuar bem e procurar convencer a “cronistas esportivos” que só querem encontrar pelo em sapo. Por mais que não exista, eles encontram, sempre que podem!

O time deve ser modificado para a estréia diante do Galo das Alterosas. Na minha visão, o lateral direito deveria ser Deleu, voltando a atuar na posição de origem, enquanto Amilton poderia fazer a estréia na equipe na sua real posição. Mas o principal setor, que inclusive vulnerabilizou o sistema defensivo, foi a proteção de zaga.

O volante Elicarlos não reeditou o melhor futebol de partidas anteriores e Vágner Rosa também não estava numa noite inspirada. Por sinal, li em entrevistas recentes que o treinador prefere a ponderação e não realizar mudanças perigosas. Isso porque, segundo o próprio PC Gusmão, os jogadores que entrarem agora não estarão no mesmo ritmo dos demais na equipe.

No mais, parabéns ao time alvirrubro pela aguerrida campanha na Copa do Brasil! Se não deu para chegar às semifinais, ao menos o Náutico mostrou competitividade de ser o MELHOR time que representou o futebol de Pernambuco. Indiscutivelmente!

A estréia no Campeonato Brasileiro irá requerer a mesma pegada e espírito competitivo que o Náutico demonstrou no Pacaembu, diante do Corinthians, e no Orlando Scarpelli, contra o Figueirense. Se o adversário é difícil, melhor ainda, pois uma vitória valorizará mais ainda os primeiros três pontos do Timbu nessa longa jornada de Primeira, no Brasileirão 2007.

Avante, Náutico!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


9 + = 10

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>