Perspectivas e aspirações

Por: José Gomes Neto

Não vejo porquê tanto estardalhaço quanto à situação do Náutico no Brasileirão 2008, por parte de alguns setores da crônica esportiva pernambucana. Tudo bem que o time não está jogando um futebol primoroso, nem tampouco brigando pelo título da competição, mas daí a quererem rebaixar o Timbu, com dez jogos de antecedência é, no mínimo, uma análise equivocada, além de cabalística. Vale salientar que o cálculo probabilístico alterna a cada rodada e quatro destes cinco últimos confrontos serão realizados nos Aflitos: Portuguesa, Vitória, Cruzeiro e Atlético Paranaense. O clássico será na Ilha do Retiro. Mas é preciso avaliar uma partida de cada vez.

Numa visão mais ampla do que ocorre nesta disputada edição do campeonato brasileiro, e a rigor, do líder ao nono colocado, ou seja, do Palmeiras ao Botafogo, os times apenas estão livres do rebaixamento. Isso mesmo. A maior parte briga por vaga na Libertadores, enquanto cinco a seis pelo título. Já do Internacional ao Vasco, que dizer: do 10º ao 20º lugar, a ciranda entre as equipes vai acontecer até a derradeira rodada, prevista para o dia 7 de dezembro. Portanto, até lá, muita água vai rolar sob a ponte da Série A.

Não adianta fazer projeções futuristas, pois o vazio do “achismo” é a pior maneira de tentar encher lingüiça (no bordão jornalístico, se diz isso quando não há conteúdo a ser informado). Por falar em clichês, é interessante como o São Paulo está cotado por aqui. Não apenas como favorito, mas o time paulistano “já venceu o Náutico”, antes mesmo de a partida começar. Mas, como recordar é viver, quanto foi mesmo Náutico x São Paulo nos Aflitos? Ah, lembrei: o Timba ganhou de virada por 2 a 1.

Também considero a equipe tricolor como favorita, mas daí a afirmar que ela é “imbatível, detentora de um futebol digno da escola brasileira”, menos… Para quem não lembra, o todo-poderoso São Paulo conseguiu empatar com o Ipatinga em pleno Morumbi, só para citar um exemplo clássico da falta de lógica que acompanha a modalidade futebol há décadas. A lógica do futebol é justamente não ter lógica, não ser obedecida. Pois bem, senhores pessimistas, insistam no erro e aprendam com os fatos.

O técnico Roberto Fernandes também rende um capítulo à parte. Questionado por seus métodos nada ortodoxos, ele tem sido avaliado mais por aquilo que desagrada a alguns cronistas na sua conduta do que pelo contexto do seu trabalho. Até o simples fato de não fornecer a escalação já é motivo de birra por parte de alguns coleguinhas, que coisa! Tem treinador na cidade que dá a escalação com dois dias de antecedência, coloca atacante de ala, e ainda assim não ganha jogo por isso. Mas ninguém fala nada! Que estranho!?

Espero que Roberto Fernandes dê seqüência ao trabalho, pois quando o Náutico empatou com o Palmeiras, ninguém teve coragem de falar de treino secreto, omissão de escalação, isso ou aquilo. É preciso observar que a qualidade técnica dos jogadores é quem vai, ou não, decidir dentro das quatro linhas. Se Felipe demorou a entrar no jogo, isso não o exime da culpa de desperdiçar um pênalti faltando três minutos para acabar a partida. É por aí.

É o Náutico vencer o São Paulo, contrariar muita gente por aqui afora, e torcer pelas combinações. Por sinal, elas (as combinações) continuam a ocorrer a favor do Timba. Para esta 29ª rodada, eis os resultados que interessam ao Alvirrubro: Grêmio x Santos (vitória do mandante); Sport x Vasco (idem); Figueirense x Palmeiras (vitória do visitante); Cruzeiro x Ipatinga (vitória do mandante); Portuguesa x Coritiba (vitória do visitante); Flamengo x Atlético/MG (vitória do mandante); Atlético/PR x Fluminense (empate, ou até vitória do mandante).

Por que estou falando sobre torcer pelas demais partidas da rodada? Simples: porque o campeonato é feito com 20 clubes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


2 − 1 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>